Connect with us

Angola que dá certo

PRODESI já desembolsou mais de Kz 510 mil milhões

Published

on

Cerca de 510 mil milhões de kwanzas é o valor global já desembolsado, até a presente data, no âmbito do Programa de Apoio à Produção, Diversificação das Exportações e Substituição das Importações (PRODESI), aos 757 projectos aprovados, desde a sua criação.

O Secretário de Estado Para a Economia, Mário Caetano João, que falava nesta terça-feira, 06, em Luanda, no habitual briefing com os jornalistas, na sede do Ministério da Economia e Planeamento, revelou que estes financiamentos foram disponibilizados com base em cinco linhas de financiamento.

O primeiro, de acordo com o governante é o Aviso 10/20 do BNA que disponibiliza 349,4 mil milhões de kwanzas, para os quais 222 projectos foram aprovados para o financiamento. Desde valor, 37,9 mil milhões de kwanzas foram disponibilizados em 2021.

Da linha de crédito do Deutsche Bank, três iniciativas viram seus projectos financiados, até 2020, com o montante global de 82 mil milhões de kwanzas, ao passo que com base nas Medidas de Alívio Económico o PRODESI já desembolsou 40,7 mil milhões de kwanzas, para 510 projectos aprovados. Destes um total de 76 projectos foram aprovados em 2021 e receberam um financiamento de 2,261 mil milhões de kwanzas.

Do programa de Apoio ao Crédito (PAC) o governo financiou 19 projectos com o valor global de 37,4 mil milhões de kwanzas.

Entretanto, com base em outros instrumentos e produtos financeiros da banca comercial o PRODESI desembolsou 574 milhões de Kwanzas, com os quais financiou três projectos.

Segundo Mário Caetano João, os bancos que têm estado a aprovar financiamentos para o sector produtivo são BDA com 513, o BAI (35), o banco BIC (29), o BNI (27), o KEVE (22), Banco YETU (15), Banco BFA (13), Banco Caixa Angola (BCGA) com 12.

Figuram igualmente da lista, o Banco Bai Micro Finanças (BMF) 9, Standard Bank (SBK) 9, Banco Millennium Atlântico (BMA) 9, Banco Valor (BVB) 9, Banco Crédito do Sul (BCS) 8, Banco de Comércio e Indústria (BCI) 8, Banco Económico (BE) 8, VTB 7, Finibanco (FNB) 6, Banco BPC 4, Banco de Investimento Rural (BIR) 3, Banco Prestígio (BPG) 3, Banco Sol 3, Banco Comercial do Huambo (BCH) 3; Banco da China 1 e Standard Chartered Bank (SCBA) 1.

Em termos de sectores de actividades, o Secretário de Estado para a Economia disse que a agricultura é a que tem mais projectos aprovados, com um total 348, seguido do comércio e distribuição com 216. A indústria transformadora (111), a pecuária (30), a aquicultura (24), a pesca marítima (23) e a pesca continental com cinco vêm a seguir.

Luanda lidera o ranking de projectos aprovados, com uma carteira de 164, seguida do Huambo 58, Benguela 58, Huíla 47, Cuanza Sul 43, Bengo 40, Bié 38, Uíge 36, Cuando Cubango 32, Cunene 31, Namibe 29, Lunda Sul 29, Malanje 28, Cabinda 28, Zaire 26, Lunda Norte 25, Cuanza Norte 23 e Moxico 22, totalizando, desta forma 757 projectos financiados.

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Advertisement

Colunistas

Daniel Sapateiro
Daniel Sapateiro (7)

Economista e Docente Universitário

Ladislau Neves Francisco
Ladislau Neves Francisco (25)

Politólogo - Comunicólogo - Msc. Finanças

Olivio N'kilumbo
Olivio N'kilumbo (21)

Politólogo

Vasco da Gama
Vasco da Gama (88)

Jornalista

Walter Ferreira
Walter Ferreira (21)

Coordenador da Plataforma Juvenil para a Cidadania

© 2017 - 2021 Todos os direitos reservados a Correio Kianda. | Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização.
Ficha Técnica - Estatuto Editorial RGPD