Connect with us

Destaque

Problemas de água em Luanda com dias contados

Published

on

A província de Luanda, vai beneficiar de um investimento que está orçamentado no valor de mais de 2,5 mil milhões de dólares americanos, para a execução dos novos sistemas de abastecimento de água do Bita e do Quilonga, com uma capacidade de produção que vai garantir o abastecimento a pelo menos 7,5 milhões de habitantes.

A informação foi avançada pelo Presidente da República, João Lourenço, este sábado, 15 de Outubro, durante a apresentação do estado da Nação, na Assembleia Nacional.

Além destes, segundo o Chefe de Estado, decorre a execução dos novos sistemas de abastecimento de água de Saurimo e Ndalatando, que se espera concluir em 2023 e 2024, respectivamente.

O Presidente da República indicou igualmente que está previsto o aumento da capacidade de produção no Lubango, com a construção de furos adicionais, assim como nas sedes municipais de Maquela do Zombo, Lucala, Matala, Bocoio, Marimba, Quela, Cangandala, Chitembo, Tchicala-Tcholoanga, Tchindjendje, Gabela, Cacolo, Muconda e Dala, devendo ser concluídos até 2024.

O Executivo prevê igualmente o início da execução dos novos sistemas de água nas sedes municipais da Humpata, Chibia, Damba, Bailundo e Andulo.

Para responder ao elevado ritmo de crescimento populacional, João Lourenço disse que estão a ser desenvolvidos projectos de extensão das redes de distribuição de água nas cidades do Uíge, Huambo, Sumbe, Dundo, N’Dalatando, Ondjiva, Caxito, Malanje e Saurimo, em mais de 79.000 ligações domiciliares.

O Governo vai continuar a implementar os projectos estruturantes de combate aos efeitos da seca. Neste contexto, na província do Cunene estão em construção e deverão ser concluídas as obras de construção das barragens do Ndue e do Calucuve na área da bacia do Rio Cuvelai, bem como da Cova do Leão na região da Cahama e Curoca, área da bacia do Rio Cunene.

“O Executivo está igualmente a mobilizar recursos para começar a desenvolver, nos próximos meses, os projectos previstos para a província da Huíla, concretamente as barragens da Arimba, Embala do Rei e N’ompombo e, na província do Namibe, as barragens do Bero, Curoca, Bentiaba, Giraúl, Carunjamba e Inamangando, incluindo os canais associados a cada uma delas”, revelou o Chefe de Estado.

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *