Connect with us

Politica

Privatização pode diminuir presença política na Damer e TV Zimbo – José Gama

Published

on

O jornalista José Gama disse este domingo, 21, à Rádio Correio da Kianda, que a privatização da TV Zimbo e da Gráfica Damer S.A por prévia qualificação, no quadro do Programa de Privatizações (PROPRIV) 2023/2026, pode diminuir a presença directa de políticos naqueles órgãos.

Entretanto, apresenta outro cenário que, caso os potenciais compradores forem da mesma família política, poderá diminuir a interferência mas, “poderão ter o mesmo objectivo de promover o marketing sobre a imagem do governo”.

Gama explica que a medida da privatização “visa diminuir despesas para o Estado, para a manutenção destas empresas. Para além de estimular o pluralismo e a concorrência, a medida vai ao encontro da estratégia do presidente João Lourenço apresentada no seu primeiro mandato, que é de promover mais espaços de debate”.

O jornalista angolano radicado na África do Sul é de opinião que a privatização não significa independência editorial desses órgãos, pois “podem ir em mãos de pessoas influentes, mas serão sempre controlados pelas pessoas próximas ao poder”.

Segundo os despachos presidenciais publicados em Diário da República, o Estado angolano coloca à venda 70% das acções que detém na Damer Gráfica – Sociedade Industrial de Artes Gráficas, e 100% da sua participação no capital social da estação de televisão TV Zimbo.

O titular do poder executivo delegou competência à ministra das Finanças, com a faculdade de subdelegar, para a verificação da validade e legalidade de todos os actos subsequentes.

Jornalista multimédia com quase 15 anos de carreira, como repórter, locutor e editor, tratando matérias de índole socioeconómico, cultural e político é o único jornalista angolano eleito entre os 100 “Heróis da Informação” do mundo, pela organização Repórteres Sem Fronteira. Licenciado em Direito, na especialidade Jurídico-Forense, foi ainda editor-chefe e Director Geral da Rádio Despertar.