Connect with us

Mundo

Primeiro-ministro israelita forma governo de emergência para desmantelar Hamas

Published

on

Benjamin Netanyahu apresentou hoje o novo governo de emergência de Israel e avisou que as forças israelitas vão “desmantelar” as milícias do Hamas.

Acompanhado por Benny Gantz, membro da oposição que se tornou ministro sem pasta, frisou que o governo de unidade “envia uma mensagem clara ao inimigo, ao país e ao mundo”.

Foi também anunciado hoje que o primeiro-ministro israelita terá o primeiro encontro com as famílias dos raptados pelo Hamas, um total de 126, segundo as estimativas do exército israelita, numa reunião na base de Ramla.

O ministro da Defesa israelita, Yoav Gallant, avisou as milícias libanesas do Hezbollah que o seu país não está interessado numa escalada das hostilidades na fronteira e que “respeitará” qualquer exercício de “contenção” que as milícias decidam levar a cabo, mas que pagarão um “preço elevado” se entrarem na guerra.

“Não queremos uma escalada. Temos uma missão a cumprir, por isso, se o Hezbollah decidir enveredar pelo caminho da guerra, pagará um preço muito alto, muito alto”, enfatizou Gallant, durante uma visita a um posto militar israelita perto de Gaza, em mais um dia de trocas de artilharia na fronteira israelo-libanesa que causaram a morte de pelo menos um israelita.

O grupo islamita Hamas lançou, no dia 07 de Outubro, um ataque surpresa contra Israel com o lançamento de milhares de foguetes e a incursão de milicianos armados por terra, mar e ar.

Em resposta, Israel bombardeou, a partir do ar, várias infra-estruturas do Hamas na Faixa de Gaza e impôs um cerco total ao território com corte de abastecimento de água, combustível e electricidade.