Connect with us

Politica

Presidente João Lourenço congratula-se com o evoluir da situação na RDC e Lesotho

O Chefe de Estado angolano, João Lourenço, acredita que os passos dados nas Repúblicas Democrática do Congo e do Lesotho podem contribuir para o desanuviamento da situação política, aumento da confiança e a estabilidade destes dois países.

Published

on

O ponto de vista foi expresso pelo Chefe de Estado angolano quando discursava, nesta terça-feira, na abertura da cimeira extraordinária da Dupla Troika da SADC, que decorre em Luanda, onde o principal foco da agenda de trabalhos é a situação política e militar na República Democrática do Congo e no Reino do Lesotho.

Na sua óptica, os passos dados pelo governo congolês sob a liderança do Presidente Joseph Kabila, no sentido da implementação dos aspectos fundamentais, como a marcação das eleições para 23 de Dezembro deste ano, são sinais que podem contribuir para o urgente desanuviamento das tensões internas, para o reforço da confiança mútua entre o governo, a oposição e a sociedade civil.

Em função desta nova atmosfera, o Chefe de Estado angolano apela a todos os intervenientes directos no processo de regularização do conflito na RDC que façam prova de sabedoria, patriotismo e máxima contenção nos momentos mais críticos, olhando em primeiro lugar para os interesses nacionais.

Para João Lourenço, o novo clima reinante na RDC vai ajudar a superar as diferenças e criar espaços de convergência que privilegiem a paz, segurança, estabilidade e a reconciliação nacional.

O Estadista angolano manifestou-se, entretanto, preocupado com a situação reinante no Leste da RDC, onde grupos rebeldes, com destaque para a Aliança das Forças Democráticas (ADF), continuam a ceifar vidas de pacíficos cidadãos, entre mulheres e crianças, inviabilizando o desenvolvimento económico e social do país.

Considerou essencial o apoio da comunidade internacional para a resolução do conflito na RDC, tendo sempre em conta as posições assumidas pela SADC e pela União Africana, de um modo geral.

Quanto a situação no Reino do Lesotho, referiu que a Dupla Troika da SADC aprecia positivamente os esforços das forças vivas desta nação, para a estabilização política completa deste país.

Afirmou que Angola, com profundo sentido do dever, é parte do contingente militar da organização regional que tem por função assegurar a estabilidade político-militar do Lesotho, dentro dos limites estabelecidos pelas Nações Unidas e da União Africana sobre as missões de manutenção de paz.

A cúpula da SADC, com este encontro que termina ainda hoje, pretende buscar pacificamente os caminhos para ajudar a RDC e o Lesotho a ultrapassar a crise política e social que enfrentam, bem como consolidar o processo democrático na região austral.

A Dupla Troika é composta pelos países que compõem a Troika do órgão de Defesa e Segurança e da Troika da SADC.

O órgão de Defesa e Segurança é composto por Angola (Presidente), Zâmbia e Tanzânia. A Troika da SADC integra a África do Sul, actual presidente, Swazilândia e Namíbia.

De salientar que os representantes da RDC e do Reino do Lesotho não integram a Dupla Troika das SADC, mas participam no fórum na qualidade de convidados.