Connect with us

Politica

“Precisamos olhar para a publicidade como principal fonte de receita dos órgãos de comunicação”

Published

on

O Director Nacional de Publicidade destacou esta sexta-feira, 01, a importância do sector para a criação de novos empregos, bem como principal fonte de financiamento para os órgãos de comunicação social.

José Matuta Cuato, que falava à margem da Formação de Angariadores Publicitários, promovida pelo Ministério das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social (MINTTICS), através da Direcção Nacional de Publicidade, ressaltou que o sector tem potencial de crescimento no país.

“A publicidade constitui numa das maiores fontes de receitas dos órgãos de comunicação social e o angariador é um elemento fundamental que trabalha na intermediação, que leva a publicidade das agências para os meios de comunicação”, referiu.

O director José Matuta explicou, igualmente, que a formação faz parte do Plano de Acção da Direcção Nacional de Publicidade para 2024 e visa, sobretudo, fornecer aos participantes ferramentas para melhor desempenharem as suas funções.

“Por um lado, essa formação visa doptar de conhecimento e habilidades técnicas, mas também, do ponto de vista jurídico para melhor dominar o direito da publicidade quando fazem mediação para os órgãos”, explicou.

O gestor expôs também “que a publicidade é uma indústria que cresceu bastante no país, quer em quantidade de empregos gerados, quer em arrecadação de receita”, mas, ressaltou que “pensamos que podemos fazer mais fazendo com que os órgãos de comunicação social não fechem as portas”.

“Muitos jornais fecharam as portas devido dificuldades em angariar receitas. Entendemos que esse sector pode contribuir para que esses jornais saiam dos escombros da dificuldade financeira com auxílio da arrecadação com publicidade”, disse.

A Lei Geral da Publicidade de 13 de Março de 2017, define o angariador como pessoa singular ou colectiva que intermedeia produtos entre o anunciante e o detector do suporte publicitário, o que, para o director nacional, pode contribuir para o aumento da empregabilidade no país.

“É uma profissão muito importante e numa altura que o país enfrenta problemas de desemprego este pode ser também um caminho para contribuir”, indicou.