Connect with us

Economia

Postos de combustível existentes ainda insuficientes para atender demanda

Published

on

Com objectivo de dar respostas ao défice existente, sobretudo em municípios do Leste e Sul do país, o Executivo angolano prevê, até 2027, construir cerca de cinquenta e dois novos postos de abastecimento de combustível.

A informação foi avançada esta sexta-feira na província do Bié, pelo director geral adjunto do Instituto Regulador dos Derivados de Petróleos, António Feijó.

O responsável, que falava no âmbito do nono Conselho Consultivo do sector, adianta que a medida vem cobrir o défice que se regista de postos de abastecimento ao longo das estradas nacionais, além de facilitar os utentes.

Neste momento, segundo António Feijó, estão operacionais 900 postos de combustível, que considera inferior para atender a demanda populacional.

Recordar que, recentemente, foi aprovada no Parlamento a Lei de Combate ao Contrabando de Produtos Petrolíferos, no sentido de desencorajar tais práticas.

Dados apresentados pela Sociedade Nacional de Combustíveis apontam que, a partir de 2027, o país terá uma produção combinada de petróleo até 425 mil barris dia, contra os 65 mil produzidos até a presente data.

Neste momento, Ãngola conta com duas refinarias de petróleo, sendo uma em Luanda e outra no Soyo, aguardando-se pela conclusão de mais outras duas em Cabinda e no Lobito, Benguela.