Connect with us

Economia

Portugal alarga para 2 mil milhões financiamento para infra-estruturas e agro-negócio em Angola

Published

on

O Ministro das Finanças de Portugal, Fernando Medina, que se encontra em Angola para reforço de cooperação em vários domínios, anunciou esta quarta-feira, 05, em Luanda, o alargamento para dois mil milhões de euros o valor de financiamento para infra-estruturas e agro-negócio.

O governante fez o anúncio do alargamento do montante, a Saída da audiência concedida pelo ministro Mário Caetano João, da Economia e Planeamento.

Durante o encontro, Fernando Medida reafirmou o compromisso de Portugal em apoiar o Governo de Angola no processo de diversificação da economia e modernização das infra-estruturas.

“Estamos aqui para desbloquear os instrumentos de financiamento às empresas em Angola quer seja nas áreas de infra-estruturas quer seja ao nível do agronegócio.

Compreendemos com clareza os objectivos apresentados pelo Presidente da República, João Lourenço, nomeadamente, a aposta no capital humano, infra-estruturas e diversificação da economia. Nós vamos apoiar esse processo”.

O Ministro Fernando Medina, garantiu que Portugal vai alargar a linha de financiamento para Angola, que sairá “de 1,5 mil milhões de Euros para 2 mil milhões, cujos projectos prioritários serão definidos pelo Governo angolano”,

Fernando Medina revelou ainda à Mário Caetano João que as empresas portuguesas que operam em Angola “estão muito interessadas em continuar a desenvolver a sua actividade no país, pois consideram que Angola tem hoje um quadro macro-económico estável” e propício para a sua manutenção e expansão.

O Ministro da Economia e Planeamento destacou a importância da parceria entre os dois países e sublinhou que Angola “deixou lógica de uma economia de logística que se consubstanciava na importação e distribuição, para uma economia produtiva com olhos voltados para a diversificação e integração regional.

Sobre a integração regional, Mário Caetano João manifestou o interesse em contar com o apoio de Portugal tendo em conta a sua experiência em processos semelhantes.