Connect with us

Economia

Porto de Luanda: balança comercial de 2020 com crescimento em volume de negócios

Published

on

O Porto de Luanda apresentou em 2020 um crescimento do volume de negócios superior aos do ano anterior, apesar da crise económica, agravada pela pandemia da covid-19, com uma diferença de variação de 66%.

Segundo o Director de património, Omar Marcos, em 2020 o Porto de Luanda obteve uma facturação de 82.645 milhões de kwanzas, mais 32.914 milhões comparativamente ao volume de negócios obtidos em 2019, quando foi registado um total de 49.731 milhões de kwanzas. Em termos estatísticos esta variação representa 66% de diferença entre os dois períodos.

O Administrador para área Comercial, Roberto Martins, disse, na ocasião, que Este aumento deveu-se a desvalorização cambial, que teve um crescimento na ordem dos 33% da taxa.

O facto de as transacções comerciais a nível dos portos ser taxado em dólares, que entretanto, domina o comércio internacional, fez com que o volume de negócios tenha aumentado.

Outro factor que contribuiu para este aumento é o facto de o terminal multiuso ter sido gerido em de 2019 a 2020, directamente, pelo Porto de Luanda, desde o fim do contrato com a operadora que vem agora ser substituída pela DP World.

Este aumento de volume de negócios teve reflexo positivo também nos outros serviços durante o exercício económico de 2020 do Porto de Luanda. A actividade de fornecimentos e serviços de terceiros, teve um aumento de 505%, ao aumentar de 4.028 milhões em 2019 para 24.379 milhões de kwanzas.

Em termos de custos com pessoal o aumento foi de 36%, por ter sido registado 10.734 milhões de kwanzas em 2020, mais 2.832 milhões em relação a 2019, para um resultado líquido de 31.674 milhões de kwanzas, a representar uma variação positiva de 62%.

Para fazer face ao trabalho, a força de trabalho foi reforçada em 5%, com o aumento de 439 em 2019, para 461 trabalhadores em 2020.
Os dados foram apresentados nesta quarta-feira, 3 de Fevereiro 2020, durante um encontro com os jornalistas. Os dados apresentados mostram que em termos de tráfego de navios, durante o ano passado o porto registou 3.456 unidades, menos 568 em relação a 2019, e a variação situou-se em menos 14%.

Já ao nível de movimentação de mercadorias, o registo foi de 6.665 KT, com a diferença a variar em menos 7%, em relação 7.142 de 2019.
Situação geral do porto de Luanda.

Situado na costa da Baía de Luanda, o Porto de Luanda ocupa uma área total 225,74 hectares, distribuída em administração e terminais para os quais se fez uma visita guiada aos Jornalistas presentes no encontro.

O terminal da base logística destinada às actividades petrolíferas foi adjudicada à Sonils, em Janeiro de 2001, para um período de 20 anos, vencidos há mais de 30 dias. O administrador Executivo, Miguel Pipa, esclareceu que decorrem neste momento o processo de negociação do contrato para uma eventual renovação do contrato e caso as partes não encontrem um entendimento favorável, o mesmo poderá não ser renovado, o que levará o Porto de Luanda a abrir um novo concurso público internacional para se encontrar um operador para a gestão do referido terminal.

“Terminado o tempo de concepção, as partes entram num processo de negociações, primeiro, para avaliar, o grau de cumprimento dos regulamentos previstos e depois ver a sua continuidade” tendo acrescentado que o mesmo poderá ser prorrogado em breve. O atrasado na rubricação do novo contrato, deve-se, segundo fez saber, a alguns constrangimentos que foram surgindo, mas garante que nos próximos tempos poderá ser renovado.

Inaugurado em 1945, o Porto de Luanda é a maior infraestrutura portuária do país. Tem uma extensão de mais de quatro quilómetros, uma força de trabalho composta por 3.500 trabalhadores. Além da área administrativa, possui cinco terminais, nomeadamente o terminal de cargas gerais, sob gestão da multiterminais, o terminal polivalente, que esta a ser gerido pela Unicargas. O terceiro terminal é o de contentores, sob gestão da Sogester.

Actividade petrolífera ocupa o maior terminal do porto, onde estão as empresas do sector petrolífero em angola, a excepção da Cabinda Golf Company, e que vinha sendo gerido de 1 de Janeiro de 2001 a 1 um de Janeiro de 2021, pela Sonils. O quinto terminal é o multiuso que a 25 de Janeiro último foi cedido à empresa DP World, para um período de 20 anos, tem ligação directa com os caminhos de ferro de Luanda e com as principais estradas nacionais.

Os dados foram divulgado durante um encontro com os jornalistas, realizado pelo conselho de administração da entidade portuária de Luanda, seguida de uma visita guiada aos cinco terminais do porto de Luanda, na manhã desta quarta-feira, 03 de Fevereiro de 2021.

Participaram do referido encontro, o Administrador Executivo Miguel pipa, o director comercial e gestão das concessões, Roberto Martins, o Director de património, Omar Marcos, além de outros quadro séniores do conselho de administração

Colunistas