Connect with us

Sociedade

Populares pedem demissão do Administrador do Lubango

Published

on

A comissão de moradores do Kuawa e Tchavola, dois bairros localizados  na periferia da cidade  do Lubango,  pedem   demissão  do administrador  municipal  do  Lubango, Armando Viera.

Armando Viera  está  há um ano enfrente  dos  destino  da  cidade  capital  da  Huíla, isto é, desde outubro  de 2018, altura  que  foi  nomeado pelo Governador Provincial,  Luís  Nunes.

Com apenas um ano de gestão, a comissão de  moradores do  Kuawa e Tchavola, bairros que  surgiram  na sequência das demolições  forçadas levadas a cabos pelo executivo huilano   em  2010,  querem  o seu afastamento.

A pretensão foi manifestada pelo porta- voz da comissão de moradores, Francisco Jaime. O também activista cívico justificou que  a  posição  da comissão deve- se  ao facto de  o adiministrador [ Armanado Viera ] estar “a encobrir  administradores de bairros  que  estão a vender  terrenos que são    reservas do estado, destinados a construção de infra- estruturas sociais, como  escolas, postos de saúde, campos desportivos,   etc.”

Como exemplo, o porta-voz aponta o dedo  a  administradora  do bairro  da Mitcha, Biatriz da Cunha Vale    e  uma  outra funcionária da administração, a engenheira Tânia.  Segundo Francisco  Jaimes,  as  duas individualidade  estão a vender à terceiros terrenos que são reservas do Estado, no bairro da Tchavola.

” Os espaços que  Estado  deixou em 2010[ no bairro da Tchavola ] para serem construidos infras-estruturas públicas, tais  como escolas, hospitais entre outras do interesse público, elas agora estão a talhonar  e a vender a preços que rondam  os 4000.00,00 a 1000.000,00  Kwanzas, denunciou.

O porta-voz explicou que  já fizeram  chegar a situação  ao administrador, mas  ” ele está nos ignorar”.

Manifestação

Por outro lado, Francisco Jaime disse que os moradores do Kwaua  e  Tchavola  tinham  agendado uma série de  manifestação  para   o mês  de  Dezembro para  forçar a saída  do  administrador Armando Viera.O porta- voz  disse que ao  informar ao Comando Provincial da Polícia  na Huíla, esse orgão  de defesa e segurança pediu  que  as manifestações não se realizassem, por  ser  o mesmo da  quadra  festiva. ”  E, nós  resolvemos acatar  o conselho  da  nossa Polícia Nacional” asseverou. Mas, sublinhou  que  vão  continuar  a usar outros meios  de  pressão  para  exigir a exoneração  do administrador Armando Viera.

A nossa  reportagem  tentou  contactar  o  administrador  Municipal  do Lubango,  mas  não  teve  sucesso.

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *