Connect with us

Sociedade

Populares em Luanda obrigados a fazer sócia de água em camiões cisternas no dia de Natal

Published

on

O consumo de água imprópria, e a especulacão de preços, estiveram na ordem do dia neste Natal.

Neste 25 de Dezembro de 2021, em vários bairros de Luanda, varias famílias tiveram que desafiar as medidas de restricões impostas pelas autoridades, como forma de evitar a propagação da Covid-19, para conseguir no mínimo, 20 litros de água potável.

A escasses de água verificou-se em quase toda Luanda, devido a fraca distribuicão do precioso líquido, por parte da EPAL. Como consequência, várias famílias tiveram de interromper a ceia natalina, para ir a procura de água, com bidons de vinte lítros a serem comercializados a um preço acima dos duzentos kwanzas.

Se para uns, a solucão foi percorrer distancias para conseguir a água, para outros, a alternativa passou por associar camiões cisternas, que nesta semana de Natal, chegaram a ser vendidos por preços exorbitantes, como por exemplo, vinte mil litros, por trinta mil kwanzas.

Na zona do zango 3, nos bairros Capapinha e Santa-paciência, vários cidadãos denunciaram terem adquirido dos camiões sisternas, neste Natal, água imprópria por conta da necessidade.

” Não ha água. Até para fazer bolo não temos água. A escasses de água estragou o Natal de muitas familias aqui nas laranjinhas. Lamentou, Julieta dos Santos, de 42 anos entrevistado pelo Correio da Kianda neste sabado, 25 de de Dezembro.

” A água que as sisternas estão a nos vender aqui na Santa-Paciência não está boa. Como no Calumbo não está a sair água esses camiões sisternas estão a ir buscar água na lagoa do vai-e-volta, e é esta água que estão a vir nos vender. Está a nos trazer diarreia e a nos fazer mal. Denunciou uma outra cidadã, moradora da Santa-Paciencia, também entrevistada pelo Correio da Kianda.

Entretanto, de acordo com uma nota da Epal a que o Correio da Kianda teve acesso, a escasses de água em Luanda, nestes últimos dias, deveu-se por força de trabalhos que estavam a ser efectuados em algumas condutas e girafas, situacão que poderá voltar a normalidade , com a distribuicão de água em toda Luanda, ainda apartir deste domingo, 26 de Dezembro.