Connect with us

Sociedade

Polícia trabalha para identificar responsáveis por estupro de jovem morta em Benguela

Published

on

A Polícia Nacional em Benguela diz estar a trabalhar para identificar os indivíduos que supostamente desenterraram e estupraram o cadáver de uma jovem de 22 anos no Município da Catumbela.

A informação foi avançada pelo porta-voz da Polícia local, Ernesto Chiwale, tendo acrescentado que o departamento de investigação criminal em colaboração com os agentes da Polícia Nacional da primeira esquadra, fizeram-se ao local e confirmaram o teor da denúncia, estando obviamente o cadáver de uma cidadã de 22 anos exposta, que presumivelmente teria sido abusada sexualmente.

Ernesto Chiwale adiantou que os indivíduos, até agora não identificados, teriam acedido ao cemitério da Catumbela e dirigiram-se até ao bloco 40, onde se encontrava enterrada a jovem e teriam cometido o acto.

Por sua vez, a médica legista Fátima de Almeida, confirma que a vítima esteve internada durante dois dias nos cuidados intensivos e perdeu a vida no dia 14 do corrente mês, tendo os familiares realizado o funeral.

“A vítima permaneceu dois dias nos cuidados intensivos e depois faleceu, os familiares fizeram o seu funeral no cemitério da Catumbela no dia 16, e na quinta-feira 17, o cadáver foi exumado por desconhecidos”

A sociedade deplora a atitude dos indivíduos envolvidos e pede que sejam encontrados e responsabilizados criminalmente.

O psicólogo Jerby Caculete, diz que o imediatismo é um dos principais factores que leva os cidadãos a terem esse tipo de atitude.

“Hoje, a sociedade está muito acelerada, as pessoas não querem trabalhar, querem ter tudo fácil, devem trabalhar para adquirir bens em função do seu trabalho, devemos ensinar isso a sociedade”

Já o sociólogo Jeremias Alberto, defende uma investigação exaustiva do caso, para se apurar os reais motivos deste acto reprovável.

Vários estratos da sociedade reagem ao caso do suposto desenterro e estupro de cadáver de uma jovem de 22 anos ocorrido no Município da Catumbela, na Província de Benguela.

Formado em radiojornalismo, com passagem por órgãos de comunicação social públicos e privados. Possui formação internacional em Comunicação e Multimedia. Estudante do curso superior de Gestão/Comunicação e Marketing.