Connect with us

Sociedade

Planta Mbrututu pode curar Hepatite B, afirma terapeuta

Published

on

O presidente da Câmara Profissional dos Terapeutas de Medicina Tradicional Natural (CATEMETA), Kitoco Maiavangua, destacacou quinta-feira, no Sumbe, as potencialidades curativas existentes na fauna da província do Cuanza Sul, como alternativa à medicina convencional, foram 

“Queremos fazer da planta Mbrututu, originária do Cuanza Sul, enviada recentemente à Espanha para estudos complementares, como o principal alicerce na medicina terapêutica, tendo em conta o seu valor curativo para Hepatite B,” afirmou Kitoco Maiavangua, num  encontro com terapeutas locais .

Kitoco Maiavanga que falava à ANGOP, esclareceu que “os estudos preliminares foram feitos no Centro de Investigação, dai que a exploração desta planta deve estar regulada e acompanhada pelas autoridades, como forma de se prevenir grandes devastações”, vincou

Neste sentido , o responsável afirmou que protocolos serão assinados com as autoridades locais para a protecção, conservação  e  valorização do Mbrututu.  

Avançou que distintas farmácias, com produtos de medicina natural, serão instaladas no Sumbe, bem como será levado a cabo um ciclo formativo para os praticantes e, desta forma, “acabar com os falsos médicos tradicionais”, sublinhou.

A Câmara projecta, igualmente, a criação de um fundo terapêutico, que se destina aos filiados em caso de invalidez e morte, preocupando-se com assuntos ligados à legislação.

O terapeuta realçou que, em 2012, se elaborou um ante-projecto sobre a politica da medicina tradicional e práticas complementares, como um normativo que vem alavancar a prática e a valorização dos profissionais.

Augura que, em breve, o Executivo reveja e seja legislado, para que a prática  da medicina tradicional se constitua, de forma legal, em medicina convencional.   

Da agenda do encontro, consta a dissertação de temas como “Os terapeutas, parteiras tradiciinais e naturais no desenvolvimento sustentável para a mudança inovadora” , “A higiene e o comportamento no local de trabalho”, “A importância da conservação de plantas medicinais para o arquivo patrimonial e material e a conservação de florestas”.

A Câmara Profissional das Terapeutas de Medicina Tradicional Natural (CATEMETA) tem cadastrados 61 mil terapeutas tradicionais e 33 parteiras tradicionais, destes três mil e 14 são do Cuanza Sul.

 

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *