Connect with us

Politica

PIIM: projectos sociais abrem vagas para 48 mil novos empregos na educação e saúde

Published

on

Mais de 23 mil empregos na educação e 25 mil no sector da saúde é o numero de novos postos de emprego que estão a ser criados com a construção de várias obras de escolas, hospitais e postos médicos, para os quais deverão ser abertos concursos públicos para o provimento de vagas de professores, médicos, enfermeiros e pessoal técnico e administrativo.

A informação foi avançada nesta terça-feira, em Luanda, durante uma conferência de imprensa, à margem da segunda reunião do grupo técnico de acompanhamento dos projectos Integrados de Intervenção nos Municípios, dirigidos pelo ministro de Estado para a Coordenação Económica, Manuel Nunes Júnior.

“Como sabem, grande parte dos projectos do PIIM visam a construção de infra-estruturas escolares, hospitais, centros médicos e postos de saúde, e dada a componente integrada do PIIM, é preciso salvaguardar que uma vez concluídos, esses projectos, o seu funcionamento não fique a espera de recrutamento e selecção de quadros”, disse a coordenadora do Grupo Técnico, Laurinda Cardoso, na conferência de imprensa, na manhã desta terça-feira.

A também Secretária de Estado para a Administração do Território avançou ainda que a intenção é que os trabalhos sejam desenvolvidos em simultâneo, para uma implementação planificada atempada com os sectores da educação e da saúde, cumprindo metas e os prazos, para permitir que “a medida que estas infra-estruturas vão sendo inauguradas possam entrar automaticamente em funcionamento”.

Questionada sobre o número real de escolas que entram em funcionamento, a partir de Setembro próximo, Laurinda Cardoso explicou ser ainda prematuro, pelo facto de que algumas destas escolas em construção visam substituir as antigas com qualidade “precária”.

O referido concurso público, segundo a coordenadora do grupo técnico, demonstra a necessidade de 23 mil novos agentes no sector da educação, entre professores e técnicos administrativos, ao passo que na saúde, deverão ser contratados mais 25 mil novos agentes entre médicos, enfermeiros, técnicos de diagnósticos e auxiliares administrativos.

Quanto às datas para o anúncio dos referidos concursos públicos, Laurinda Cardoso referiu que deverá ser ainda este ano para o Ministério da Saúde, ao passo que no sector da Educação o concurso deverá ser gradual, até o próximo ano, e tendo em conta a disponibilidade financeira para cobrir estes encargos públicos.

O Projecto Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM) tem uma carteira de 1472 projectos, nos 164 municípios do país, sendo que desde o início, há um ano, apenas 86 já estão concluídas as obras.

A Directora Nacional do Investimento Público, do Ministério das Finanças, Juciene Cristiano, referiu que em termos financeiros, já foram gastos cerca de 151 mil milhões de kwanzas, um valor que deverá aumentar em função das obras já executadas.

Esses dados contam do segundo dos quatro pontos abordados na reunião da comissão técnica de acompanhamento do Plano Integrado de Intervenção dos Municípios, dirigida pelo ministro de Estado para a Coordenação Económica, Manuel Nunes Júnior, centrado na definição da estratégia do plano de Acção de selecção e recrutamento de quadros nos sectores da Educação e da Saúde.

A revisão dos indicadores das quotas já pagas nos projectos em curso, bem como dos resultados dos projectos e análise dos documentos técnicos de suporte para a revisão dos preços das obras com base nas categorias de infra-estruturas são os outros três pontos da reunião, em que participaram os ministros do Interior, dos Transportes, da Construção, da Saúde, da Administração do Território e das Finanças, que integram a comissão interministerial do PIIM.