Connect with us

Politica

PIIM: governador promete levar às barras do tribunal empresas que não cumpram os prazos

Published

on

O governador da província do Zaire, Pedro Makita Júlia, prometeu levar às barras do tribunal as empresas que, eventualmente, não cumpram os prazos contratuais. Makita fez estas declarações à margem de uma visita efectuada, nesta terça-feira, 18, no município do Tombolo, onde se deparou com os atrasos na execução de construção de duas obras, enquadradas no Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM).

Durante a sua estadia naquele município, Pedro Makita inaugurou um balcão do Banco de Comércio e Indústria (BCI) e das instalações da Administração Geral Tributária (AGT), em declaração à imprensa, o governante mostrou-se desapontado e prometeu penalizar as empresas que, eventualmente, não cumpram com os prazos:

“Manifestamos a nossa apreensão e desagrado, na medida em que consignamos as obras das duas escolas no dia 29 de Maio, mas o grau de execução física das mesmas não nos satisfaz”, disse e alertou que “quer que as escolas estejam concluídas dentro dos prazos e que cumpram com os parâmetros de qualidade exigidos”.

Por seu turno, o administrador do Tomboco, Alberto dos Santos, fez saber que as empresas encarregues da construção das duas escolas, a Consflatini Lda e Oporamate, enfrentam dificuldades no transporte do material de construção, a partir de Luanda.

“O empreiteiro alega que a paralisação deve-se ao facto da empresa de fiscalização exigir a aplicação de material ideal”, explicou.

As obras destas duas instituições escolares tiveram início, em Maio deste ano, e a construção de cada uma está avaliada em 95 milhões e 490 mil 321 de kwanzas (sete salas) e a de doze salas em 152 milhões e 571 mil 637 kwanzas. A conclusão de ambas estava prevista para Fevereiro de 2021, mas, pelo andar das obras, desconfia-se que os prazos não venham a ser cumpridos, facto que desagradou o governador.