Connect with us

Sociedade

PGR inicia averiguação de denúncias feitas por jornalistas contra directora da TPA

Published

on

A Procuradoria-Geral da-República (PGR) deu início a acareação dos treze jornalistas da Televisão Pública de Angola, acusados de calúnia e difamação pela directora do Centro de Produção na província do Uíge.

Numa carta enviada ao Presidente do Conselho de Administração, os treze jornalistas denunciam irregularidades por parte da directora Rita Solange e pedem a sua demissão.

Sebastião Amaral, um dos subscritores da carta, garante terem provas das supostas ilegalidades cometidas pela directora.

“Nós apresentamos as provas que achavamos necessárias, dali, um conselho ou outro da parte do procurador para que houvesse desistência, para que a parte queixosa retirasse a queixa, eu disse não e continuaria até ao tribunal”, diz Amaral.

Entre as supostas ilegalidades praticadas por Solange, os jornalistas apontaram desvios de bens da empresa, uso de dinheiro para fins pessoais, nepotismo, maus tratos aos profissionais, dentre outros.

Por sua vez, durante a acareação, na PGR, junto dos Serviços de Investigação Criminal, Rita Solange, disse que não retirará a queixa e quer que se faça justiça.

Colunistas