Connect with us

Economia

Peste suína: proibida venda de carne de porco no Bengo

Published

on

Está suspensa a venda temporária de carne de porco e os seus derivados, na província do Bengo, por suspeita de peste suína que se regista naquela parcela do país, assim como aconteceu no município da Humpata, na Huíla.

De acordo com a chefe do Departamento Provincial dos Serviços de Veterinária, Ana Maria Fita, até ao momento foram contabilizados 100 animais mortos, no município do Dande.

Ana Maria Fita garantiu que a sua equipa está a trabalhar para retirar do mercado o produto de origem suína.

Os Serviços Veterinários no Bengo suspeitam terem detectado, desde Janeiro do corrente ano, casos de Peste Suína Africana em duas fazendas, nas comunas do Kicabo e no Perímetro Irrigado de Caxito Rega, no município do Dande.

Trata-se das fazendas Taona e Gronly, onde se registou a morte de suínos, por doença, cujas características clínicas indicam ser Peste Suína Africana.

Os primeiros casos de peste suína este ano no país foram registados após análises laboratoriais, no município da Humpata, província da Huíla.

Preocupados com a situação e com vista a controlar a sua propagação, as autoridades sanitárias daquela província do Sul do país, determinaram a proibição da venda de carnes suína e os seus derivados, bem como a entrada e saída de animais vivos do município.

Também conhecida como febre suína ou cólera dos porcos é uma doença altamente contagiosa e frequentemente fatal dos suínos, que não oferece risco à saúde humana. É uma doença de notificação obrigatória aos órgãos oficiais nacionais e internacionais de controlo de saúde animal, com potencial para rápida disseminação e com significativas consequências socioeconómicas.