Connect with us

Sociedade

Pesca: Elementos das forças de segurança acusados de invadir navios de pesca no Namibe

Published

on

Elementos afectos as forças de defesa e segurança, na província do Namibe, estão a ser acusados pela empresa SFT Angola, de invadir três embarcações de pescas naquela região do país.

De acordo com administrador executivo da empresa, SFT Angola, António Gama, que falava em Conferência de Imprensa na tarde do último sábado, os militares, em número considerável, invadiram às 19 horas, três embarcações da empresa industrial, num momento em que se encontram retidas na Baía do Namibe sob suspeita de captura do peixe carapau.

António Gama negou que os navios da sua empresa tenha feito captura de carapau, cuja pesca está proibida para preservação da espécie nos mares do país.

O responsável garantiu, por outro lado, que a empresa observou “minuciosamente todos os critérios recomendados pelas autoridades neste período” de veda de captura do carapau.

O administrador executivo da empresa, disse ainda que a SFT Angola não aceita ser apontada como “rosto da pesca ilegal em Angola” e denunciou que elementos afectos as forças de defesa e segurança no Namibe, tomaram um dos navios e prenderam a tripulação que estava na Baía há mais de 25 dias, aguardar o desfecho do caso.

Neste episódio, conta António Gama, a tripulação de um outro navio da empresa, no local, viu-se obrigada a fugir para Luanda, em busca de segurança.

“Neste momento a embarcação está a caminho do Porto de Luanda por questões de segurança”, contou o responsável.

Segundo a empresa, a embarcação quem vem a Luanda por segurança, tem no seu interior carapau congelado.

Entretanto, assegurou não ser verdade que no mês passado duas embarcações de pesca industriais foram apanhadas com excesso de peixe carapau nos mares do Namibe e que têm exportado carapau para a República do Ghana.

António Gama salientou que antes a SFT Angola alertou as autoridades para que acompanhassem as suas operações no mar para evitar tais especulações.

Segundo administrador, o ministério mandou o documento para a fiscalização das pescas que também autorizou.

António Gama lamentou o facto de terem sido difundidas informações de que foram apreendidas duas embarcações com mais mil toneladas de carapau da SFT Angola.

“É falsa essa informação”, avançou o responsável que desafia as autoridades a fazer apuramento de verdade.

Tentativas para ouvir as autoridades do Namibe não foram poupadas, entretanto, até ao fecho deste texto, na noite deste domingo, 16, não foi possível obter uma versão, pelo que o Correio da Kianda vai continuar a tentar e a acompanhar o facto.