Connect with us

Economia

Peixe continua a ser importado em “enorme quantidade”, diz ministra

Published

on

O governo angolano está preocupado com o facto de o país continuar a importar peixe seco e fresco, o que representa pressão sobre a aquisição de divisas.

A preocupação foi revelada, recentemente, pela ministra das Pescas e Recursos Marinhos, Carmen do Sacramento Neto, que referiu que o bacalhau continua a ser importado em “enorme quantidade”.

A seguir ao bacalhau está o peixe fresco, sendo o cacusso a espécie que entra no mercado nacional em maior quantidade, além dos dourados e a sardinha portuguesa.

O carapau é outra espécie do peixe que Angola importa em grandes quantidades, tendo a ministra justificado a medida com o facto de haver indisponibilidade de pescado no mercado nacional.

Esta situação, de acordo com a governante, está a representar uma pressão as reservas de divisas.

No capítulo das exportações, Carmen do Sacramento Neto disse que é uma necessidade para dar resposta à procura pelo pescado nacional por parte dos armadores, tendo apontado para a entrada de divisas no país como a vantagem dessa “troca”.