Connect with us

Economia

Parque do Iona vai render ao Estado cerca de 700 mil dólares por ano

Published

on

Um total de 26 infra-estruturas de apoio administrativo à gestão do Parque Nacional do Iona foram inauguradas neste sábado no município do Tômbwa, província do Namibe, pelo Presidente da República, João Lourenço.

Sob gestão da African Parks, o Parque Nacional do Iona controla actualmente mais de 500 espécies de animais vertebrados, sendo que ontem, “treze girafas entraram para a lista das espécies que habitam o espaço, na conclusão de uma operação que se desencadeou a partir da vizinha República da Namíbia, onde os animais residiam”, informou a Presidência.

De acordo com o ambientalista responsável da empresa gestora, Pedro Monterroso, o Parque Nacional do Iona vai rentabilizar aos cofres do Estado 700 mil dólares americanos por ano.

Por sua vez, falando no acto de inauguração das estruturas do parque, o governador do Namibe, Archer Mangueira, disse que a reserva contribuirá para a gestão sustentável de toda a riqueza ambiental.

A ministra do Ambiente, Ana Paula de Carvalho, afirma que o aumento da densidade populacional ameaça a fauna e flora, e anunciou, para breve, medidas de protecção e revitalização com reinício da reintrodução de novos animais da reserva do Huambo, Uíge e Cuanza Sul.

“Temos de prestar atenção aos parques do Luengué-Luiana e Mavinga, são os maiores do país, assim como o da Cameia, também na província do Moxico, bom como outros parques, de Cangandala, o do Luando e outros e pô-los ao serviço do turismo”, disse João Lourenço, reforçando que o “outro passo a dar é organizar o concurso público para a concessão desses grandes parques de conservação e reservas naturais”.

Colunistas