Connect with us

Economia

Parque de Energia Solar-Fotovoltaico vai beneficiar mais de 50 mil famílias no Luena

Published

on

O Parque de Energia Solar-Fotovoltaico do Luena, na província do Moxico, estará concluído esta sexta-feira, 24, segundo comunicado do Ministério da Energia e Águas (MINEA) ao qual o Correio da Kianda teve acesso.

Com uma potência instalada de 25,3 MWp, que servirá para abastecer 59.483 pessoas, a população do Luena passa a contar com mais uma fonte de energia limpa para assegurar a distribuição de forma ininterrupta. Orçado em 36,9 milhões de euros, a empreitada comporta um total de 43.680 painéis solares.

Actualmente, a produção de energia eléctrica para abastecer a cidade do Luena é feita através da Central Hídrica de Tchiumbwe-Dala, com 12,4 MW disponíveis, Central Térmica Luena 2, com 4,4 MW disponíveis, e Luena 3 (WARTSILA) com 10 MW disponíveis.

“O objectivo do Governo de Angola, plasmado no plano “Energia Angola 2025”, é diversificar a matriz energética do país para assegurar que cerca de 82% da sua população rural tenha acesso a electricidade”, diz o comunicado.

Para além do Parque Fotovoltaico do Luena serão ainda construídos outros sete, nas províncias de Benguela (Baía Farta e Biópio), Huambo (Bailundo), Bié (Cuito) e Lunda-Norte (Lucapa) e Lunda-Sul (Saurimo), que deverão estar operacionais até ao final do ano em curso, garante o comunicado.

Ressalta também que os Parques Fotovoltaicos de Saurimo, na província da Lunda Sul, Biópio e Baía Farta, na província de Benguela, já se encontram a produzir energia.

“No seu conjunto, os sete parques solares foram desenvolvidos por um consórcio internacional composto pelas empresas Sun África e MCA, estando esta última com a componente de engenharia e com a respectiva construção, tendo já concluído três parques dentro dos prazos, permitindo fornecer energia limpa e renovável a cerca de 2,4 milhões de angolanos, contribuindo para a redução anual de emissões poluentes de cerca de um milhão de toneladas de CO2 (dióxido de carbono)”, lê-se no comunicado.

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Colunistas