Connect with us

eleições

P. NJANGO diz que Mil milhões de Kwanzas é pouco para campanha eleitoral

Published

on

O Presidente do Partido Nacionalista para Justiça em Angola com a sigla P. NJANGO, Eduardo Chingunji “Dinho”, disse, em entrevista ao Correio da Kianda, que cerca de 1.112 mil milhões de kwanzas entregue aos partidos políticos e coligação de partidos políticos concorrente as eleições gerais, “é muito pouco” apesar de significativo aumento que se fez.

Para o político e candidato à Presidência da Reública, o Governo devia dar cerca de três bilhões de kwanzas.

Dinho disse que o valor que havia sido definido pelo primeiro Decreto Presidencial, de 448 milhões kwanzas, era mesmo pouco, para os partidos tidos como pequenos que durante os cinco anos não receberam nenhum valor do OGE para se manter. Já está o actual Decreto que revoga o anterior e aumenta o montante para mais de um bilhão kwanzas pode vir suportar os gastos da campanha eleitoral nas grandes cidades e onde há maior concentração do eleitorado.

Apesar de terem já recebido os mais de oitenta e cinco milhões de kwanzas para financiamento da pré-camapanha, o presidente do P.NJANGO, defende que o ideal para que os partidos tenham material suficiente o Estado Angolano devia disponibilizar cerca de três bilhões de kwanzas.

O enginheiro de profissão justifica com a queda e a desvalorização da moeda nacional nos mercados comparando com a campanha de 2017. Dinho Chingunji, diz ainda que é preciso penetrar em zonas de difíceis acessos com materiais de propagandas  em todo país.

Já o valor actual de mais de um bilhão, “é bem-vindo e vai suprir algumas dificuldades” que deverão encontrar durante a fase de campanha política.

“Em relação ao valor anterior vai sim conseguir nos ajudar, mas também temos que aceitar atendendo a situação econômica do país”, finalizou.