Connect with us

Destaque

Os jovens e as eleições gerais em 2017

Published

on

MPLA, UNITA e CASA-CE, são já considerados os partidos da primeira divisão. Atrás, a FNLA, PRS e APN. Estes três últimos, estão a levar dos seus adversários, uns bons diavulos, e não será surpresa nenhuma, se os mesmos não cortarem a meta.

Só corta a meta quem obtiver 0.5 segundos na total da velocidade empreendida ao longo da corrida. E parece que a APN; FNLA E PRS, estão a ver fumo e a esperança ou as aspirações dos seus lideres só se contemplam mesmo olhando pelo furuto do binoculo.

A APN continua a ser um partido que se parte em dúvidas a cada kilometro que percorre. Até hoje, a pergunta de sempre não se cala. Como foi possível Quintino Moreira entrar neste jogo?

As respostas dividem opiniões, e ainda bem que, agora, a verdade da sua força ou a falta dela, começa-se a revelar. Fraca, sem motivação e longe de inspirar os jovens que são a maior da plateia que assiste em pleno, os argumentos dos fracos ou fortes corredores.

O tempo, ele é inteligente. Recurso não renovável que cobra seus impostos com juros altos aos que tentam brincar de verdade na hora da verdade.

Mas o tempo hoje é outro. Este, não é o tempo de quem apenas promete. Mas sim, de quem se compromete com uma causa franca e honesta.

E nesta corrida de caça ao voto, a honestidade continua a ser das mais duvidosas, porque os corredores pretendem ser mais velozes que a bala da globalização. Conseguem quase fazer crer ao cego que poderá ver depois do dia 23.

Ainda bem que nesta era, são os jovens que mais dominam as técnicas e tecnologias de informação. Por tanto, são eles os mais rápidos, perdendo pelo facto de não poderem tomar decisões.

Apesar disso, eles podem fazer com que determinadas decisões sejam tomadas a seu favor.  

Na Internet, um vídeo gravado numa instituição do ensino superior, mostra isso mesmo. Os jovens que são a maioria e que parecem estar distantes desta prova, dão provas de que quem assim esteja a pensar, está enganado. De promessas e de que vamos fazer, isso é hoje pouco na corrida para se angariar votos.  

Os jovens, estão por dentro do que se está a passar e desejam de facto que a verdade, mesmo não sendo absoluta, possa prevalecer na hora que os corredores desta prova quase cortam a meta.

O lideres que nos vão representar na assembleia nacional e não só, devem manter acesa a chama desta lembrança.

`Liderar é inspirar e influenciar pessoas a fazerem a coisa certa, de preferência entusiasticamente de quem tem o poder`. Isso mesmo defende Jumes Hunter no seu livro como se tornar um líder servidor.

Inspirar e motivar. Os jovens precisam de emprego, formação, lazer, desporto, trabalho e desenvolvimento. Os jovens que são os adptos em maioria neste grande jogo da verdade, estão ansiosos por uma Angola diferente.

Os jovens, respeitam o passado desta terra, mas para eles, é o futuro que interessa. Muitos deixaram de acreditar no brilho do presente, e já não são só palavras bonitas que esperam ouvir.

Esta grande juventude que no dia 23 vai votar, sabe bem o que quer e quem provavelmente lhe dará o que almeja.

Numa altura em que parece que haja lama escorregadia na pista das eleições, muitas pessoas vivem um grande momento de indecisão. No dia 23 você precisa mesmo de sair de casa e acreditar em si. O seu voto, o meu voto e o voto de todos aqueles que conhecemos são importantes para o país.

Porque votar é importante tal como é respeitar o que se promete, é de todo indispensável que nos unamos em torno desta grande festa. E mesmo que alguns saiam embriagados, vale recordar que dentro de 5 anos voltaremos a pista da verdade.

Vencedores de hoje podem ser os derrotados de amanhã. O que se pede é calma na hora da decisão e que depois, se respeitem os resultados.

No dia 23 vá votar. Vote no partido do seu coração. Vote naquele que combina com as suas aspirações.

Nas eleições gerais de 2017 os jovens são chamados a preservar o bem-estar social e a promoverem o mais valente sentido patriótico.

O lideres, os próprios corredores desta histórica quarta prova da verdade são aconselhados a lembrarem-se de que estamos no tempo que o Facebook já quase chega a ser mais forte que a televisão e é dominada por jovens que estão em grande maioria para votar.

Que Angola seja um bom exemplo.

 

 

 

 

 

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *