Connect with us

Mundo

Os Estados Unidos, um ano depois da eleição de Trump

A economia continuou a crescer e o número de imigrantes ilegais diminuiu. Contudo, o salário dos trabalhadores estagnou, a dívida dos estudantes aumentou e o risco de guerra nuclear subiu.

Published

on

Já passou um ano desde que Donald Trump tomou posse como Presidente dos Estados Unidos. De lá para cá, a economia continuou a sua tendência de crescimento e o número de imigrantes ilegais detidos a tentar atravessar a fronteira caiu consideravelmente. Contudo, desde o discurso inaugural no dia 20 de Janeiro de 2017, onde Trump prometera pôr “a América em primeiro”, protegendo “os trabalhadores americanos e as famílias americanas”, a dívida dos estudantes norte-americanos aumentou 47 mil milhões de dólares e a emissão de dióxido carbono aumentou.

Afinal, como estão os Estados Unidos depois de um ano da presidência de Trump? (Nem todos os números apresentados estão relacionados com decisões da Casa Branca. Por exemplo, os salários dos norte-americanos são mais determinados pela oferta e procura de trabalhadores de um determinado sector).

Economia
Os Estados Unidos do Presidente Trump continuaram na onda de crescimento da economia que se vivia na era de Barack Obama, com uma taxa de desemprego a cair dos 4.8% para os 4.1% e com um aumento do PIB (de 1.8% para 2.3%).

Os investidores do mercado bolsista são os grandes vencedores de 2017. No mercado S&P 500 houve um crescimento de 23% (passou de 2,271.31 dólares para 2,810.30). Contudo, não houve crescimento nos salários: 2.6% passou para 2.5%. Os grandes derrotados são os estudantes: de 1.3 biliões para 1.4 biliões. 

Ambiente
No mesmo ano em que a temperatura média global aumentou, os Estados Unidos emitem mais CO2 e outros gases com efeito de estufa, de 476 milhões de toneladas métricas para 491 milhões.

Com a saída dos EUA do Acordo de Paris sobre alterações climáticas, os EUA facilitou regulações a empresas energéticas e abriram novas áreas de exploração e extracção de petróleo.

Relações Internacionais
Em 2017, os Estados Unidos chegaram a um acordo com a Rússia em diminuir o número de ogivas nucleares. 
Contudo, as tensões com a Coreia do Norte, que conduziu vários testes ao longo do ano passado, tem deixado o mundo em pânico. Saúde
Trump nunca chegou a acabar com a Obamacare. Sete em dez norte-americanos inquiridos na sondagem AP-NORC de Dezembro disseram desaprovar a forma como Trump tem tratado o problema, tendo 85% afirmado que se trata de uma questão muito importante para eles.

Imigração
Uma das principais promessas de Donald Trump era a de diminuir a imigração, algo que conseguiu fazer. O Presidente norte-americano diminuiu o número de refugiados permitidos no país e decresceu o número de detidos de imigrantes que tentam passar a fronteira com o México. 
Segundo o think tank Bipartisan Polícy Center, tal acontece por dois motivos. Em primeiro lugar, por causa das medidas anti-migratórias da administração Trump, tais como o Travel Ban. Em segundo lugar, por causa de um crescimento na economia dos países da América Latina, tal como o México, passando a não ter motivos para ir para os Estados Unidos.
Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *