Connect with us

Sociedade

ORMED contesta as circunstâncias em torno da detenção e morte do médico

Published

on

A Ordem dos Médicos de Angola (ORMED) solicitou, nesta segunda-feira, 07, ao Governo, a revisão da norma que impõe o uso obrigatório de máscaras em carros pessoais.

Conforme o novo Decreto Presidencial sobre a Situação de Calamidade Pública, o uso deste equipamento torna-se obrigatório mesmo quando o motorista circula sozinho dentro da sua viatura.

O incumprimento deste normativo da azo à aplicação de multa, no valor de 5 mil kwanzas.

Segundo a ORMED, que reagia à morte do pediatra Sílvio Dala, não há “evidências científicas suficientes” para sustentar a tese do uso obrigatório de máscaras em viaturas individuais.

A ordem lamenta, por outro lado, a morte do médico, e condena o comportamento da Polícia Nacional, por ter ignorado todos os factores atenuantes e prescindido do papel pedagógico.

Lamenta que a corporação tenha levado para a esquadra um profissional bem identificado, visivelmente esgotado fisicamente por cumprir mais de 32 horas de trabalho seguidas.

“Após a avaliação dos factos, a ORMED considera pouco claras as circunstâncias em torno da detenção e morte do médico, uma vez que são desencontrados os pronunciamentos da PN, o que sugere  uma zona cinzenta por esclarecer”, lê-se na nota da ordem, enviada à imprensa.

A ORMED, apesar de valorizar a idoneidade da PN, considerando-a entidade respeitável e honesta, solicita nova investigação independente, às circunstâncias em torno da morte do médico pediatra angolano.

Por Angop