Connect with us

Politica

“Organizações multilaterais devem ajustar-se aos novos tempos e desafios emergentes” – Massano

Published

on

O ministro de Estado para a Coordenação Económica defendeu esta quinta-feira, 22, no último dia da Reunião Ministerial do G20, no Rio de Janeiro, a necessidade de realização de reformas nos vários organismos internacionais, sobretudo nas Nações Unidas.

“A reforma global é  imperiosa, sublinhando que está na hora de se virar a página e iniciar a sua aplicação, pois faz tempo que consta da agenda”, destacou José  Massano, ressaltando que para Angola, “as organizações multilaterais, como as Nações Unidas, o Fundo Monetário Internacional e o Banco Mundial, devem ser objecto de um processo de reformas profundas, ajustadas aos novos tempos e desafios emergentes”.

Afirmou, igualmente, que “o momento exige acção, as Nações Unidas carecem de uma atitude mais consentânea com os objectivos que determinaram a sua criação, assim como o Banco Mundial e o Fundo Monetário Internacional são chamados a contribuir mais activamente para a estabilidade e prosperidade económica de todas as nações”.

À margem da reunião, o ministro de Estado encontrou-se com a ministra japonesa dos Negócios Estrangeiros, Yoko Kamikwa, com o fortalecimento das relações de amizade, de cooperação e comercial em análise.

No encontro, foi ainda avançada a possibilidade da instalação, num futuro próximo, de uma unidade de montagem de veículos automóveis, por parte de uma Multinacional do Japão.

Ainda no âmbito da realização de encontros bilaterais, José Massano reuniu-se com o ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal, José Cravinho, com quem abordou a problemática da emissão de vistos e da segurança social.

A Reunião dos Ministros dos Negócios Estrangeiros do G20, encerrada pelo chefe da diplomacia brasileira, Mauro Vieira, não produziu nenhuma declaração.

Com Angop