Connect with us

Mundo

Oposição guineense afirma que angola não tem lições de moral a dar à Guiné-Bissau

Published

on

O vice-líder da bancada parlamentar do Movimento para Alternância Democrática (MADEM-G15), Abdu Mané, afirmou ontem, sexta-feira, em Bissau, que o governo angolano não tem lições de moral a dar à Guiné-Bissau.

O deputado reagia assim a posição do governo angolano que pediu esta quarta-feira (12 de junho de 2019) no Conselho de Paz e Segurança da União Africana “medidas punitivas” para as pessoas e entidades que continuem a criar obstáculos à normalização da vida constitucional na Guiné-Bissau.

Na sua declaração aos jornalistas, Abdu Mané, fez duras criticas ao governo angolano que exige sanções contra os deputados guineenses. Mané considera os deputados guineenses legítimos representantes do povo da Guiné-Bissau, criticando a posição de Angola, onde segundo o deputado, o núcleo dos direitos fundamentais são sistematicamente vandalizados.

Lamenta ainda a atitude “irresponsável” do Embaixador de Angola na Guiné-Bissau, que de acordo com o deputado, decidiu tornar-se em especialista em matéria de Direito Constitucional, falando do fim do mandato do Presidente da República da Guiné-Bissau.

Recordou que Angola é um país para o qual guineenses contribuíram para a sua independência. Por isso, sustenta que não tem lição de moral a dar à Guiné-Bissau no âmbito da democracia e dos direitos humanos, não havendo amnésia política.

“Quem não se recorda da realização da primeira volta das eleições ds 1992 que foi interrompida com a chacina política de Salupeto Pena e do General Ben Ben, pelo Governo angolano cuja segunda volta veio a realizar-se 30 anos depois”, lembrou.

Sobre o governo português, disse que não se estranha a atitude das autoridades daquele país europeu que, segundo ele, “em tempos condecorrou com Medalha de Mérito, o Chefe de uma rebelião “A Junta Militar”, no dia 22 de Agosto de 1999, em São João da Barra, que derrubou um Presidente democraticamente eleito, pondo em crise o nosso sistema democrático”.

Assegurou neste particular que a sua bancada parlamentar apela às autoridades portuguesas e angolanas a abasteserem-se de ingerências nos assuntos internos do país e que respeitem a siberania, as leis e as instituições da República da Guiné-Bissau.

 

C/ Jornal Odemocrata

Continue Reading
1 Comment

1 Comment

  1. Amável Negritude Kawawa

    15/06/2019 at 7:53 pm

    Só quero que melhorem a ortografia, há muitos erros ortográficos e para uma empresa que leva aos seus leitor matérias de caráter nacional e internacional, peço que haja mais responsabilidade ao digitar documento do mesmo carácter.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *