Connect with us

Politica

Oposição abre fogo contra controlo da imprensa pública. MPLA rejeita acusações

Published

on

Os deputados com assento parlamentar na Assembleia Nacional discutiram nesta quarta-feira, 02, sobre o “ tratamento desigual” nos orgãos de informacão, com realce para os órgãos públicos, como a TPA e Rádio Nacional, e a Tv-zimbo a ser arrastado. As divergentes e convergentes opiniões, marcaram o debate que tornou-se “aceso” depois dos Partidos Políticos na oposicão, acusarem o Partido no Poder, de estar a “ comandar a imprensa pública.

Ao tomar a palavra, pela UNITA, Mihaela Weba, lamentou, pelo facto, de, nos últimos 18 meses, de acordo com a Deputada, terem sido “ bastante confrangedores para o seu partido, pela forma abusiva e desigual, de como os órgãos públicos de comunicação social trataram as forças políticas na oposição, nos seus conteúdos informativos, particularmente as representadas no Parlamento.

Sobre a “desigualdade” no tratamento da comunicacão social aos Partidos Políticos na oposicão, Mihaela Webba considerou como sendo uma clara violacão a constituicão da República, tendo referido, que o contraditório “foi subtraído no léxico dos órgãos de comunicação social do Estado e a censura é a nova forma de fazer jornalismo, numa clara violação à Constituição e à lei”

“ Com este quadro, o pluralismo de expressão, foi literalmente banido da linha editorial destes orgãos de comunicacão social do Estado, o que é diametralmente oposto, ao espirito democrático e de direito. Disse!

Em resposta, o MPLA, na voz do deputado João Pinto, sugeriu ao Partido do Galo Negro, a não continuar com o que chamou de vitimizacão constante, por entender, que o Partido fundando por Jonas Savimbi, nunca desculpou-se aos Angolanos, dos seus erros do passado.

“ A UNITA não pode querer vitimizar-se sempre, nunca pediu desculpas sobre os erros que cometeu ao longo da história, nunca assumiu nenhum erro, tem orgulho de tudo que fez, ao contrário de nós do MPLA, que até temos um programa de Governo “ Melhorar o que está bem e corrigir o que está mal”. A UNITA tem de estar preparada para ser criticada, porque a UNITA não gosta de ser criticada. Disse, João Pinto, deputado do MPLA.

Continue Reading
1 Comment

1 Comment

  1. AmaralCosta

    03/03/2022 at 3:07 pm

    Mas o deputado João Pinto não ouviu a intervenção da deputada? Incapaz de responder ou funciona apenas em função de contantes reminiscências do passado? Programa de governo “corrigir o que está mal”? Pode dar exemplos?

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *