Connect with us

Educação Financeira

O que os jovens namorados devem saber antes das grandes bodas: pedido e dia do “casório”

Published

on

Para quase qualquer jovem no mundo, um dos sonhos que tem é casar com a sua alma gémea. É indiferente os detalhes físicos, a idade, o género, entre outros quesitos. É um sonho que se quer realidade. É inegável que o CASAMENTO é um dos eventos mais importantes da vida de grande parte da humanidade, e por isso é sempre muito festejada. O dia do matrimónio é geralmente marcado por uma celebração religiosa, seguido por uma grande festa onde a felicidade dos noivos, dos pais e dos convidados é comemorada!

Contudo o casamento é, normalmente, antecedido por outro momento que em África, e nos vários países onde já vivi, é cultural que haja uma festa que é muito diferente do “pedido de casamento” na «moda» europeia ou até americana. O pedido ou alambamento é algo muito sério para os futuros noivos e para as famílias. O pedido é tão sério que é um «casamento» não oficial para todos os envolvidos, mas com valor de casamento para as famílias. Com certeza, há culturas africanas que dão mais relevância a este momento civil do que outras. Por exemplo, em Angola, nas províncias do Zaire e do Uíge, na cultura Bakonga, o alambamento é uma «coisa» muito séria!

Vamos falar das “bodas” (festas) tanto do pedido como do casamento e onde elas «casam» com a Educação Financeira. Para muitos podem dizer que para a maioria dos convidados o que vale mesmo é a festa (a celebração religiosa é só algo que eles têm que aguentar para poder beber o “champanhe”). E tem sempre aquele “tio” casado que fica o tempo todo fazendo piadas sobre a felicidade dos noivos, do tipo “eu nunca soube o que é ser realmente feliz até casar. Aí já era tarde demais…”.

A decisão de se casar não é lá tão simples, ela envolve muitos aspectos emotivos e comportamentais que não são o objectivo deste artigo. Assim, vamos simplificar as coisas e partir do pressuposto que as duas (2) condições primordiais para um casamento acontecer estão presentes:

• 1a. condição – você já se decidiu casar, ou seja, você já encontrou a sua cara-metade, sua alma gémea, o amor da sua vida.

• 2a. condição – o sentimento é recíproco. Esta segunda condição parece óbvia, mas muitas vezes é negligenciada.

•Assim, o momento agora é de preparar a festa do pedido e depois a festa do “copo de água”. É neste momento que as opções são muitas, e os gastos também. Vou dar algumas dicas para você realizar as 2 (duas) festas memoráveis, mas sem colocar em risco a sua viagem de lua de mel:

• O princípio básico a ser seguido é que para uma festa ser memorável, ela não precisa ser cara, a não ser que você queira que sua festa seja um evento social e não uma celebração de amigos. As melhores festas são aquelas que marcam as pessoas pela emoção, por sentimentos de amizade e alegria, e não necessariamente pelo preço do vinho que será servida ou da comida pronta a servir nas cubas.

• Evite cair na armadilha do “vale a pena gastar um pouco mais, casamento é uma vez só na vida”. Não, não é que a gente acredite que você vai se casar mais vezes. Mas este pensamento é muito parecido com o “eu mereço” das compras compulsivas. Isto nos leva a gastos sem necessidade, supérfluos e que na maioria das vezes não irá valorizar muito a sua festa.

• Não se endivide! Não comece a sua “vida a dois” fazendo financiamentos ou empréstimos para pagar a sua festa. No final, nenhum convidado irá pagar estas dívidas para vocês.

• Tente economizar um pouco nos convites de casamento. Há uma infinidade de modelos e formatos, mas escolha um simples e não muito caro. Lembre-se que um telefonema, uma visita ou uma conversa com o convidado valem muito mais que o convite em si.

• Que tal disponibilizar um espaço na internet para que as pessoas coloquem as fotos que cada um tirou na festa? Vai ser muito mais divertido e você não terá que pagar por aquele fotógrafo profissional para tirar as tradicionais fotos de “noivos, padrinhos, família” que no final ninguém vê.

• Alugue as roupas. Pode não parecer não tão «glamoroso», mas este é o tipo de traje que será utilizado somente uma vez, mesmo que você se case de novo! Você poderá conseguir até um desconto se as roupas dos padrinhos forem alugadas no mesmo lugar.

• Por fim, lembre-se que planeamento é tudo. Vocês precisam fazer uma planilha com informações como número de convidados, gastos fixos que independentemente do número de convidados, como a igreja, local da festa, etc, e os gastos por convidado.

É claro que existem muitas outras dicas que poderiam ser dadas, tanto para uma festa ou como para a outra. Uma das grandes diferenças é que no pedido se oferece um “anel de noivado” e este também pode ser um custo muito alto a ter que suportar pelo futuro noivo. Atenção! Os conselhos em cima mantém-se válidos.

O objetivo aqui não é esgotar todas as possibilidades, mas sim despertar o seu interesse para o tema e começar uma discussão saudável no casal, no casal enquanto namorados.

Saiba que a felicidade e longevidade de um casamento começa no namoro. Aliás, para o bem ou para o mal, diz-se que o divórcio começa no namoro.

Fale com o(a) o seu/a sua companheiro(a) sobre dinheiro. Não sinta que nestas (2) duas festas uma sensação de frustração ou decepção pelo que não conhecia do outro e deveria conhecer no que tange a dinheiro. Os eventos são de festa, de comemoração e consagração do Amor, mas o amor também se faz de diálogo e o dinheiro demanda muita conversa entre o casal.

Boas bodas! Vida longa para os futuros casais!

Professor Daniel Sapateiro
Economista e Docente Universitário

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Advertisement

Colunistas

Daniel Sapateiro
Daniel Sapateiro (13)

Economista e Docente Universitário

Ladislau Neves Francisco
Ladislau Neves Francisco (25)

Politólogo - Comunicólogo - Msc. Finanças

Olivio N'kilumbo
Olivio N'kilumbo (21)

Politólogo

Vasco da Gama
Vasco da Gama (88)

Jornalista

Walter Ferreira
Walter Ferreira (21)

Coordenador da Plataforma Juvenil para a Cidadania

© 2017 - 2021 Todos os direitos reservados a Correio Kianda. | Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização.
Ficha Técnica - Estatuto Editorial RGPD