Connect with us

Educação Financeira

O que é e como fazer o seu Orçamento Familiar Mensal

Published

on

O tema desta semana é daqueles que são fundamentais para uma pessoa individual ou familiar. Ter um Orçamento Financeiro eis a questão. Neste caso não se pode colocar a hipótese de não ter. Ter ou Ter.

Vou explicar o que é um Orçamento Financeiro Familiar, para que serve e como preparar o seu, de modo simples e eficaz.

Controlar as receitas e as despesas, fixas e variáveis, através da elaboração de um orçamento familiar, mensal e anual, é a regra número um da poupança. Só assim saberá quanto ganha, quanto gasta e quanto consegue poupar por mês, além de identificar as rubricas com maior margem para reduzir os custos.

Um orçamento familiar é o planeamento do dinheiro que se recebe e da forma como é gasto. Como o dinheiro é um recurso limitado, é necessário planear bem a sua utilização. Sem um orçamento é difícil planear a poupança e definir objectivos para o futuro.
O orçamento é uma ferramenta essencial para gerir as finanças da família, todos os meses, e são necessários apenas cinco passos na sua preparação. Saiba quais são e mantenha-se financeiramente saudável.

Por outras palavras, e numa folha A4, você escreve em cima os seus rendimentos, independentemente se são de trabalho, de rendas, de aplicações financeiras. Em baixo escreve as suas despesas, dividindo-as por fixas e variáveis. Por despesas fixas entende-se aqueles gastos que são sempre mensais: como a renda de casa, pós-pago da energia, televisão, propinas da escola privada, etc. E por despesas variáveis, são as despesas que têm variação todos os meses, bastando consumir diferentes quantidades, por exemplo, ou ainda, se consumir ou não consumir.

Como fazer o orçamento familiar

1. Reúna a família
Comece com uma reunião em família, incluindo os seus filhos. É mais fácil definir objectivos, para reduzir custos e poupar, e depois cumpri-los.

2. Registe e faça o somatório das receitas
Um orçamento começa pelo lado positivo, ou seja, pelas entradas de dinheiro. Separe as receitas entre fixas – como salário, pensões e rendas – ou variáveis – como trabalho extra, prémios ou retornos de investimentos.

O objectivo de anotar todas as receitas ao longo de um mês, por exemplo, é ser possível fazer uma estimativa do dinheiro que estará disponível nos meses seguintes.

Pode fazer este registo num caderno ou bloco de notas, numa folha de cálculo de Excel ou com recurso a outro software mais sofisticado. Existem programas e aplicações criadas para o efeito para o seu telemóvel ou tablet.

3. Registe e faça o somatório das despesas
As despesas são o lado negativo do orçamento, correspondente aos gastos mensais da sua família. Anote todas as despesas, separando-as em fixas – como a prestação da casa, os transportes e as contas da água, da luz e do gás – e variáveis – como a alimentação, o vestuário e o lazer. É fundamental ter consciência do montante total dos gastos.

Essencial ou supérfluo?
Em todas as despesas que for tendo, avalie sempre se se trata de uma necessidade real (despesa essencial) ou um desejo supérfluo. Os gastos com alimentação e com as contas da casa são uma necessidade. Já uma televisão nova, por exemplo, é um desejo.

4. Faça as contas
Subtraia as despesas às receitas. No final, o saldo deve ser positivo, ou seja, é importante que as receitas sejam superiores às despesas. Se lhe sobrar dinheiro poderá reforçar a poupança da família.

Já se o saldo for negativo deve fazer ajustes ao orçamento familiar. Comece por reduzir as despesas variáveis até que as receitas sejam suficientes para cobrir, pelo menos, todos os gastos.

5. Defina objectivos e cumpra-os
Estabeleça objectivos de poupança. O ideal é que poupe 10% do rendimento do agregado familiar mensal. Defina também uma meta de redução das suas despesas, caso seja necessário para equilibrar o saldo receitas/despesas ou queira aumentar o aforro.
O último passo, e o mais difícil, é cumprir os objectivos do orçamento até ao final do mês.

Nota final
Um orçamento familiar não é, no essencial, muito diferente do orçamento de um país ou de uma empresa. Salvo as diferenças de dimensão, tudo se resume a projectar as receitas e os encargos num dado período de tempo para conseguir uma navegação financeira rigorosa.

Tal como qualquer Governo, nesta época de Outubro estão a ser apresentados nos parlamentos os Orçamentos Financeiros para 2022. Sabendo que o Orçamento para qualquer país é uma ferramenta essencial para a gestão de um país, imagine o Orçamento Financeiro Familiar na sua vida e daqueles que mais ama.

Continue Reading
1 Comment

1 Comment

  1. Geovani Eduardo

    13/10/2021 at 6:57 pm

    Realmente é muito interessante e prático. Muito obrigado.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Advertisement

Colunistas

Daniel Sapateiro
Daniel Sapateiro (18)

Economista e Docente Universitário

Ladislau Neves Francisco
Ladislau Neves Francisco (25)

Politólogo - Comunicólogo - Msc. Finanças

Olivio N'kilumbo
Olivio N'kilumbo (21)

Politólogo

Vasco da Gama
Vasco da Gama (89)

Jornalista

Walter Ferreira
Walter Ferreira (21)

Coordenador da Plataforma Juvenil para a Cidadania