Connect with us

Sociedade

Nomeação de Dom Penemote é “sinal de reconciliação e de paz entre os povos”

Published

on

O secretário de Estado do Vaticano disse este sábado, 12, que Dom Germano Penemote, nomeado pelo Papa Francisco, em Junho último, ao cargo de núncio apostólico do Paquistão, está a ser enviado àquele país para servir de “sinal de reconciliação e de paz entre os povos, bem como reforçar a unidade e solidariedade cristã”.

O cardeal Pietro Parolin teceu tais declarações durante a nomeação de Dom Penemote a arcebispo ontem, na esplanada Nossa Senhora das Vitórias (recinto do bispado), em Ondjiva, no Cunene.

“É uma grande alegria para a Igreja em Ondjiva e em Angola, por se tratar do primeiro filho desta terra chamado a desempenhar a missão de núncio apostólico para um  país que conta apenas com um milhão e meio de fiéis católicos”, disse, o cardeal, avançando que o agora arcebispo titular de Treia e núncio apostólico no Paquistão, estará “num país com notáveis potencialidades, mas com desafios difíceis, dentre os quais o facto de a maioria da população ser muçulmana, para além de não ser fácil assegurar o direito das minorias religiosas”.

Dom Germano Penemote foi nomeado pelo Papa Francisco como Núncio Apostólico no Paquistão, no dia 16 de Junho, tornando-se o primeiro angolano a atingir este cargo na diplomacia da Santa Sé.

Nascido em Ondobe, província do Cunene, em Angola, a 24 de Outubro de 1969, foi ordenado sacerdote a 6 de Dezembro de 1998, na Diocese de Ondjiva.

Graduado pela Pontifícia Universidade Lateranense, em Roma, em Utroque Iure (Direito Canónico e Civil), é fluente francês, inglês, italiano, português e espanhol.

Entrou no serviço diplomático da Santa Sé em Julho de 2003 e trabalhou nas nunciaturas apostólicas de Benin, Uruguai, Eslováquia, Tailândia, Hungria, Peru e Roménia.

Formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, a profissional actua no mercado de comunicação há 18 anos. Iniciou a sua carreira em 2004, apresentando um programa de rádio e logo migrou para a comunicação digital, para a impressa e, posteriormente, a institucional. Tem vasta experiência como web journalist, criação e gestão de redes sociais, tendo participado dos projectos de desenvolvimento de diversos sites, blogs e redes sociais governamentais, privados e do terceiro sector. Reside em Luanda desde 2012, tendo trabalhado como jornalista no portal de notícias Rede Angola, como assessora de imprensa e directora de Comunicação e Operações nas Agências NC - Núcleo de Comunicação e F.O.T.Y, atendendo diversos clientes governamentais e privados. Actualmente trabalha como editora do portal Correio da Kianda.