Connect with us

Mundo

Nigéria: detidas mais de 65 pessoas que celebravam casamento homossexual

Published

on

Na Nigéria, a polícia anunciou que deteve esta terça-feira, 29, pelo menos 67 pessoas que celebravam um casamento entre homossexuais, numa das maiores detenções do país que tem uma severa lei contra relações entre pessoas do mesmo sexo.

Os “suspeitos ‘gays'” foram presos na cidade de Ekpan, no sul do estado de Delta, na segunda-feira, num evento onde dois deles estavam a casar, disse o porta-voz da polícia estadual.

As detenções de homossexuais são comuns na Nigéria, o país mais populoso de África, onde a lei que proíbe o casamento entre pessoas do mesmo sexo prevê até 10 anos de prisão para quem a transgrida.

As pessoas que sejam consideradas cúmplices dessas situações também podem ser condenadas a 10 anos de prisão.

Promulgada em 2013, a lei foi condenada local e internacionalmente, embora também seja apoiada por muitos no país.

A polícia invadiu um hotel em Ekpan onde o casamento estava a realizar-se e, inicialmente, prendeu 200 pessoas, disse Edafe, detalhando que mais tarde alguns foram libertados e 67 ficaram detidos após investigações.

“Estamos em África e estamos na Nigéria. Não podemos copiar o mundo ocidental porque não temos a mesma cultura”, frisou o porta-voz, sublinhando que a polícia “não pode cruzar as mãos” e ver os homossexuais a expressarem abertamente esta sua orientação no país.

“Isto não é algo que será permitido na Nigéria”, afirmou, acrescentando que os suspeitos serão acusados em tribunal no final da investigação.