Connect with us

Mundo

“Níger sem intenção de entregar operações antiterroristas às tropas russas ou Grupo Wagner”

Published

on

O Níger e os Estados Unidos chegaram a um acordo para a retirada das tropas americanas do país da África Ocidental, um processo que já foi iniciado e será concluído até 15 de Setembro, conforme anunciado em um comunicado conjunto.

No mês passado, a junta governante do Níger ordenou que os EUA retirassem seus quase mil militares do país. Antes do golpe de Estado no ano passado, o Níger era um parceiro essencial para Washington na luta contra os insurgentes na região do Sahel, onde a violência resultou em milhares de mortes e milhões de deslocados.

O acordo entre o Ministério da Defesa do Níger e o Departamento de Defesa dos EUA, alcançado após uma reunião de cinco dias, assegura a protecção das tropas americanas durante a retirada e estabelece procedimentos para facilitar a entrada e saída de pessoal americano nesse período. “O Ministério da Defesa do Níger e o Departamento de Defesa dos EUA reconhecem os sacrifícios conjuntos das forças nigerinas e americanas na luta contra o terrorismo e elogiam os esforços mútuos na construção das forças armadas nigerinas”, declararam em um comunicado conjunto.

“A retirada das forças americanas do Níger não afecta de forma alguma a continuidade das relações entre os Estados Unidos e o Níger no campo do desenvolvimento. Além disso, o Níger e os Estados Unidos estão comprometidos com um diálogo diplomático contínuo para definir o futuro de suas relações bilaterais.”

Um alto funcionário militar dos EUA, que preferiu não ser identificado, informou que cerca de 100 soldados americanos já foram retirados do Níger.

Os Estados Unidos irão remover equipamentos sensíveis que possuem no país, mas deixarão outros itens maiores, como unidades de ar condicionado, geradores e hangares. Um outro oficial de defesa dos EUA afirmou que as forças nigerinas poderão utilizar o equipamento deixado, desde que atenda aos padrões legais.

O oficial também acrescentou que, aparentemente, a junta nigerina não tem intenção de entregar as operações antiterroristas às tropas russas ou à empresa militar privada Wagner. “Acreditamos no que nos foi dito pelo CNSP, que não estão procurando grandes contingentes de forças estrangeiras aqui”, disse o oficial, referindo-se ao conselho militar governante do Níger.

A decisão do Níger de pedir a remoção das tropas americanas veio após uma reunião em Niamey, em meados de Março, quando altos funcionários dos EUA expressaram preocupações sobre a possível chegada de forças russas e relatos de que o Irão estaria buscando matérias-primas no país, incluindo urânio.

Com Reuters