Connect with us

Mundo

NATO em negociações para aumento de gastos com Defesa

Published

on

O secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, anunciou esta terça-feira, 03, novas negociações com os países-membros sobre o aumento do orçamento para a Defesa, especialmente diante da actual situação geopolítica mundial.

“Alguns aliados são fortemente a favor de aumentar a meta de 2 por cento e convertê-lo num mínimo”, apontou, antes de afirmar que conduzirá esse tipo de conversa.

“Vamos reunir-nos, teremos os nossos encontros no âmbito ministerial. Vamos falar sobre dinheiro“, afirmou.

Nesse sentido, Stoltenberg deu a entender que tem a certeza que os Estados-membros conseguirão chegar a acordo com vista à próxima cimeira, marcada para 11 e 12 de Julho na capital da Lituânia, Vilnius.

Actualmente, a meta é que os membros da NATO contribuam com pelo menos 0,2% do seu Produto Interno Bruto (PIB) para a Defesa até 2024, assunto que foi acordado no País de Gales em 2014, após a anexação russa da península da Crimeia.

Stoltenberg não especificou quais os países aliados que estão agora a pedir um aumento desse limite. Países como Polónia, Lituânia e Reino Unido manifestaram-se de acordo com um aumento do financiamento diante do avanço das tropas russas na Ucrânia.

No entanto, a Alemanha, o Canadá e a Bélgica, entre outros, manifestaram a sua rejeição a esta medida, dado que investem menos de 0,2% por cento do PIB em Defesa.

A disputa pelo aumento desse orçamento acentuou-se especialmente sob o mandato do ex-Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que chegou a acusar o Governo alemão e outros aliados europeus de quererem provocar a saída dos Estados Unidos da Aliança Atlântica.

Por Lusa