Connect with us

Economia

“Não podemos utilizar as reservas nacionais para resolver problemas transitórios” – Massano

Published

on

O Ministro de Estado para a Coordenação Económica disse que Angola pode por em risco a sua sustentabilidade externa se continuar a usar as reservas internacionais para cobrir necessidades de importação. José de Lima Massano referiu ainda que o país precisa, de forma urgente, começar a produzir alguns produtos de amplo consumo para salvaguardar a sustentabilidade externa.

De acordo com o Ministro de Estado, caso Angola persista no uso das reservas internacionais para cobrir défice de produção interna, pode entrar para um quadro de insegurança a médio e longo prazo.

“Se olharmos para aquilo que estamos a importar vamos facilmente concluir que o país tem orçamento para produzir, fazermos o uso das reservas internacionais para atender estes défices e segurarmos a moeda nacional, quando a estrutural não seriamos consistentes, porque ai a pressão estaria sobre a moeda e estaríamos também no quando de insegurança a médio e longo prazo, não podemos atacar as reservas nacionais para resolver problemas que são transitórios estes problemas devem ser resolvidas de forma mais estrutural”, salientou.

José de Lima Massano disse, igualmente, que este cenário só pode ser resolvido com a produção interna de bens essenciais. O ministro disse, na ocasião, que o governo já adoptou algumas medidas para estimular os investimentos e a produção interna.

“Para estimular a produção e os investimos permitimos que o IVA possa ser pago em 24 meses, portanto quem vai trazer o equipamento não tem de pagar o IVA a cabeça, também estamos a ultimar uma peça que tem haver com código de rendimento de pessoas colectivas, queremos unificar o imposto industrial e o imposto de aplicação de capitais, mas todas elas com este propósito de termos de facto a nossa economia a funcionar”, frisou.