Connect with us

Sociedade

“Não podemos ficar à espera”, diz ministra sobre prazos de entrega de hospitais

Published

on

O Hospital Geral de Viana, no distrito do Zango, e Pedalé, em Talatona, têm novos prazos para a sua entrega, que passa a ser nos primeiros meses de 2024, ao contrário de Dezembro de 2023, inicialmente anunciado.

A informação foi divulgada esta quinta-feira, 05, pela ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, que defende o reforço na fiscalização das obras, uma vez que o Estado já pagou a totalidade dos contratos.

A ministra da Saúde visitou o hospital ontem e constatou os níveis de execução das obras e acordou-se a renegociação dos prazos de entrega da infra-estrutura.

“Temos as equipas de fiscalização reforçadas, mas mesmo assim ainda precisamos de imprimir uma dinámica de maior velocidade, tendo em conta os actuais prazos negociados que são de Fevereiro/Março do próximo ano”, disse.

Quando concluído, o Hospital Geral de Viana terá serviços diversos e contará com 322 camas, destas, 272 para internamento de pacientes.

A ministra Sílvia Lutucuta visitou também as obras do Complexo Hospitalar Pedro Maria Tonha Pedalé, na zona da Gamek, município de Talatona, cujas obras de construção decorrem desde 2012.

Sílvia Lutucuta garantiu que o Governo já pagou a totalidade dos contratos com as empreiteiras que executam os trabalhos de construção da infra-estrutura.

“Nós não podemos ficar à espera, temos compromissos sociais com a população. Esta unidade faz falta e nós queremo-la quanto antes”, afirmou.

“Neste momento, não temos nenhum auto de medição pendente, não temos nenhum pagamento pendente, e de acordo com o contrato, nós precisamos de ver autos de medição mais robustos. Também queremos que o empreiteiro imprima aqui uma dinámica diferente para termos o hospital no próximo ano”, garantiu.