Connect with us

Politica

“Não me desvinculei da Frente Patriótica Unida” – Francisco Viana

Published

on

O deputado Francisco Viana solicitou a desvinculação da Bancada Parlamentar da UNITA. Em declarações à Rádio Correio da Kianda, o antigo político do MPLA e presidente da Federação dos Empresários Angolanos falou sobre o seu pedido para tornar-se deputado independente.

“Teremos vários congressos esse ano, um deles é o Congresso da Nação, e não posso chegar com chapéu partidário. Não me desvinculei, pedi apenas para ficar independente”, explicou, não tendo certeza se o seu pedido de saída do GPU possa vir a  criar algum desconforto dentro dentro da Frente Patriótica Unida.

Vale lembrar que Francisco Viana integrou a lista de deputados da UNITA nas eleições de 2022, no âmbito da FPU, que visou congregar membros do Bloco Democrático, do projecto político PRA-JA Servir Angola e de individualidades da sociedade civil.

“Saí do MPLA por entender que o MPLA não é a solução para Angola, mas não entrei na UNITA, não por não considerar o partido. Tem um GPU fantástico, com geração nova de alta qualidade, mas como sociedade civil prefiro me manter independente”, disse e ressaltou: “Não deixei a FPU, estou firme ao lado da liderança.”

De recordar que, Francisco Viana teria criado um clima de crispação depois da mensagem ao Presidente da República, na sequência da polémica do “Caso fotografia”, quando os parlamentares do galo negro se recusaram pousar.

Na ocasião, Francisco Viana reprovou a atitude, afirmando que “quando se tomou posse jurou-se respeitar as instituições”.

A reacção não se fez esperar, à época, o antigo secretário-geral da UNITA, Paulo Lukamba Gato, escreveu na sua página do Facebook: “não comecem com vossas assanhadices à custa do sacrifício de muitos”.

Entretanto, a redacção do Correio da Kianda continua envidar esforços para saber se a UNITA aceitou a desvinculação de Francisco Viana.

Jornalista multimédia com quase 15 anos de carreira, como repórter, locutor e editor, tratando matérias de índole socioeconómico, cultural e político é o único jornalista angolano eleito entre os 100 “Heróis da Informação” do mundo, pela organização Repórteres Sem Fronteira. Licenciado em Direito, na especialidade Jurídico-Forense, foi ainda editor-chefe e Director Geral da Rádio Despertar.