Connect with us

Bastidores

Músico Robertinho detido por suposto tráfico de drogas

Published

on

O músico angolano Fernando Lucas da Silva “Robertinho” foi detido nesta terça-feira, 08, no Aeroporto 4 de Fevereiro, quando supostamente tentava entrar para o País com 3 kgs de Cocaína proveniente do Brasil. 

A informação é avançada por fontes policiais que confirmam a detenção do músico nas celas do Serviço de Investigação Criminal, tendo sido submetido hoje, quarta-feira, 09, a um primeiro interrogatório pelos agentes do SIC para o apuramento dos factos. Em sua defesa, Robertinho alega que as malas que continham a droga não lhe pertencem, argumentando que alguém no Brasil solicitou-lhe ajuda para que o músico pudesse trazer as malas a Angola. 

Segundo a fonte do Correio da Kianda, duas malas provenientes do Brasil não foram recuperadas pelos passageiros no Aeroporto 4 de Fevereiro, sendo de seguida remetidas a secção dos perdidos e achados. Neste gabinete, já com ajuda de cães farejadores, os agentes da polícia descobriram que as duas malas continham substâncias suspeitas, tendo de seguida se comprovado tratar-se de droga. Diligências feitas, chegou-se a conclusão que Robertinho era o portador das referidas malas, o que se comprovou com o seu depoimento já na condição de detido. 

A confirmar-se o crime (as investigações decorrem), a Polícia poderá pronunciar-se sobre o assunto nos próximos dias.  

Nascido na província de Malange, no município do Quessua, Robertinho começou a sua carreira artistica como corista e instrumentista, tocando dikanza. David Zé, Urbano de Castro e Artur Nunes eram os vocalistas; Babulo, baterista; Hidelbrando José Cunha, viola solo; Nanuto tocava Clarinete; Habana Maior, tumbas; Luís António, saxofone; e Zeca Pilhas Secas, viola baixo.

A carreira de Robertinho ficou marcada pelo grande espectáculo em que participou, já a solo, no Brasil, denominado “Canto livre de Angola”. “Além do Brasil, teve a oportunidade de participar em vários espectáculos em países da Europa, como Alemanha, ex-União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS) e Portugal. Em África, fui a São Tomé e Príncipe e Moçambique, no final dos anos 80 e princípio de 1990”.