Connect with us

Economia

Munícipes do Golungo Alto clamam por financiamento para produção de óleo de palma

Published

on

“Para haver produção em grande escala do óleo de palma é necessário que exista investimento privado, que reforce o cultivo do dendê e a criação de indústrias transformadoras”, diz o soba grande do Golungo Alto, Manuel de Almeida Teixeira.

De acordo com o regedor, que falou à imprensa em nome dos munícipes, a falta de financiamento da produção de óleo de palma periga a continuidade da actividade para o fabrico do produto, que constitui uma das principais preocupações do povo do Golungo Alto, um dos municípios da província do Cuanza Norte, que clama pelo resgate da tradição, no âmbito da diversificação da economia do país.

Para a mais alta autoridade tradicional nesta localidade, o município tem um grande histórico no cultivo do palmar, facto que possibilita a produção do óleo de palma em pequena escala, afirmou e acrescentou que “com a concretização destas medidas criar-se-ão mais postos de trabalho, garantindo, assim, a sustentabilidade de mais famílias”.

Segundo o fazendeiro, Manuel Castro Paiva, a sua fazenda tem a capacidade para produzir mais de mil litros de óleo de palma por mês, desde que haja máquinas modernas para a transformação do dendê.

O óleo produzido no Golungo Alto tem como destino os mercados de Ndalatando, Malanje, Bengo, Cuanza Sul e Luanda.