Connect with us

Economia

Multicaixa começa a ser utilizado fora do país em 2020

Angop

Published

on

multicaixa começa a ser utilizado fora do país em 2020 - multicaixa - Multicaixa começa a ser utilizado fora do país em 2020

A partir do primeiro trimestre de 2020 o Cartão Multicaixa já poderá ser utilizado para operações financeiras fora de Angola com a adopção, pela Emis, da norma EMV – Europa, Master Card and Visa, revelou hoje à Angop o presidente do Conselho de Administração da empresa, Pedro Maiangala Puna.

O principal gestor da empresa interbancária de serviços – Emis, disse à margem do “Fórum Angotic 2019”, que com a adopção da norma EMV o Carta Multicaixa vai ter a funcionalidade do Master Card, Visa e outros meios de pagamentos internacionais.

Neste momento, segundo Pedro Puna, estão a trabalhar para adequar os mecanismos tecnológicos e consolidar as etapas já alcançadas, como é o caso do “Multicaixa Express” – serviço multifuncional que permite fazer operações financeiras a partir do telefone.

“Cada etapa que nós iniciamos deve ser consolidada e só depois avançamos para a seguinte, disse o PCA, recordando que para o lançamento da Rede Multicaixa levou muito tempo e passou-se dificuldades “, acrescentou o empresário, quando questionado sobre a possibilidade do uso do Multicaixa fora de Angola.

Pedro Puna referiu que hoje já existe no país, 18 anos depois do lançamento da Rede, pelo menos cinco milhões de utilizadores do Cartão Multicaixa, de uma população angolana estimada em mais de 26 milhões de habitantes, conforme Censo de 2014.

Questionado sobre quando os ATM começarão a cambiar ou trocar dinheiro, o interlocutor disse que ainda não está nas perspectivas da empresa este tipo de serviços, mas informou que neste momento, se alguém vier dos EUA com um cartão “American

Express”, pode levantar kwanzas e não dólar ou euro, em Angola.

A propósito das dificuldades de pagamentos, transferências, levantamentos e outros serviços, explicou que a Emis, depende, neste domínio, dos operadores de serviços de telecomunicações como Angola Telecom, Movicel e Unitel. “ Quando a rede destes operadores falha nós somos afectados”, disse.

Continue Reading
Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Advertisement

Colunistas

Ana Margoso
Ana Margoso (14)

Jornalista

António Sacuvaia
António Sacuvaia (306)

Editor

Diavita Alexandre Jorge
Diavita Alexandre Jorge (12)

Politologo

Ladislau Neves Francisco
Ladislau Neves Francisco (16)

Politólogo - Comunicólogo - Msc. Finanças

Olivio N'kilumbo
Olivio N'kilumbo (18)

Politólogo

Vasco da Gama
Vasco da Gama (70)

Jornalista

Walter Ferreira
Walter Ferreira (11)

Coordenador da Plataforma Juvenil para a Cidadania

Publicação