Connect with us

Lifestyle

Mulheres exibem documentários com entradas gratuitas na Ilha de Luanda

Manuel Camalata

Published

on

O auditório Wyza, da Fundação Arte e Cultura, está a exibir, todas as quartas-feiras, às 18h30, deste mês de Março, documentários produzidos e que retratam experiências vividas por mulheres, com entrada gratuitas ao público que se faz deslocar aquele espaço também conhecido como “Casa Lisboa à Ilha de Luanda”.

São no total seis documentários a serem exibidos até 7 de Abril próximo, na Ilha de Luanda.

Nesta quarta, 24, o documentário a ser exibido é “Do outro lado do mundo”, que retrata duas histórias de amor, protagonizadas por duas mulheres de culturas diferentes. A de Paulina, uma angolana do Bentiaba que conhece Johnny, um cidadão chinês que veio para Angola construir uma estrada que fica inacabada, e que deixa à Paulina dois filhos e a esperança de Agosto finalmente chegar.

A outra história é de Sofia, que chega à Angola com o seu marido Inácio, ex-bolseiro angolano na China, deixando no seu país o filho de ambos. Inserida numa cultura diferente, com um nome “adaptado”, por ser mais fácil de pronunciar, ´Sofia´, procura entender se a mudança não a separou demasiado de si própria. As duas mulheres partilham a coragem e a ousadia de mudar o seu destino e quebrar barreiras culturais em prol da felicidade.

O filme desta quarta-feira é o terceiro, depois de “Ar Condicionado” e “Para lá dos meus passos”. O programa reserva ainda “Alambamento” e “Lúcia no céu com semáfaros””, duas curta-metragens a serem exibidas a 07 de Abril.

O ciclo termina com “1999” uma ficção produzida em Angola e nos Estados Unidos da América.

O documentário exibido na última quarta-feira, “Para lá dos meus passos”, retrata as danças tradicionais angolanas, executadas em sintonia com os instrumentos musicais. Foi realizado por Kami Lara e Paula Agostinho, e retrata jovens angolanos que levam a dança como uma ocupação e modo de vida, através da Companhia de Dança Contemporânea. Tem 72 minutos de duração.

“Cinema no sete e meio” é um ciclo de exibição de produção de documentários nacionais, de iniciativa da Kinoyeto em parceria com a Geração 80 e a Fundação Arte e Cultura, que cede o seu auditório para acolher os amantes do cinema.

O acesso ao auditório para assistir à exibição gratuita para os interessados, com excepção às últimas quartas-feiras do mês.

Sobre o Wyza Anfiteatro

O Wyza Anfiteatro é um auditório da Fundação Arte e Cultura vocacionado a realização de eventos, Shows, Concertos, Teatro, Palestras e nome que sugere vir, foi dado em homenagem ao músico Wyza.

Fundada no dia 25 de Janeiro de 2006, a Fundação Arte e Cultura tem o seu forte na inserção social das famílias em situação de vulnerabilidade e risco e no apoio às artes e à cultura angolana. Conta com novo Cento Cultural e sede na Ilha de Luanda, onde centenas de crianças e adolescentes participam nas mais diversas áreas de formação, como as artes plásticas e o artesanato e corte e costura, música, nomeadamente guitarra, piano, percussão e canto, dança, ioga e ginástica, informática e superação escolar, entre outras actividades.

A Fundação Arte e Cultura é parte integrante da Menomadin Foundation, representando o compromisso de responsabilidade social corporativa do Grupo Mitrelli, principal mecenas da Fundação.

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Advertisement

Colunistas

Ladislau Neves Francisco
Ladislau Neves Francisco (23)

Politólogo - Comunicólogo - Msc. Finanças

Olivio N'kilumbo
Olivio N'kilumbo (21)

Politólogo

Vasco da Gama
Vasco da Gama (86)

Jornalista

Walter Ferreira
Walter Ferreira (17)

Coordenador da Plataforma Juvenil para a Cidadania

© 2017 - 2021 Todos os direitos reservados a Correio Kianda. | Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização.
Ficha Técnica - Estatuto Editorial RGPD