Connect with us

Politica

MPLA e UNITA trocam farpas em Luanda

Published

on

O primeiro secretário do MPLA na província de Luanda “foi infeliz” na sua afirmação segundo a qual, “o tempo da UNITA em Luanda acabou”, rebateu com exclusividade à Rádio Correio da Kianda, o cabeça de lista na capital do maior partido na oposição, Adriano Sapiñala.

O dirigente dos camaradas, na capital angolana, Manuel Homem, fez essa afirmação durante um acto político de massas, na centralidade do Kilamba, no mesmo dia em que o partido do “Galo Negro” realizou um acto político para assinalar o 89° aniversário do seu líder fundador, Jonas Savimbi.

Falando à Rádio Correio da Kianda, Adriano Sapiñala, disse que o seu partido demostrou, com o acto, “força nas ruas de Luanda. A tentativa de sabotagem não surtiu os efeitos desejados, pode concluir-se que o nosso adversário directo (MPLA) está completamente descontrolado, em termos políticos. Nem estamos preocupados, pelo contrário, continuamos a festejar o dilúvio de sábado (de encher as ruas de Luanda)”, disse Sapiñala.

Vale lembrar que, o primeiro secretário do MPLA em Luanda, alertou este sábado, 5, no distrito Urbano do Kilamba, que “o período de graça do maior partido na oposição (UNITA), na maior praça política acabou”, apelando aos militantes a “cerrarem fileiras em torno do seu líder, João Lourenço” e a “manterem a serenidade”.

Jornalista multimédia com quase 15 anos de carreira, como repórter, locutor e editor, tratando matérias de índole socioeconómico, cultural e político é o único jornalista angolano eleito entre os 100 “Heróis da Informação” do mundo, pela organização Repórteres Sem Fronteira. Licenciado em Direito, na especialidade Jurídico-Forense, foi ainda editor-chefe e Director Geral da Rádio Despertar.

Colunistas