Connect with us

Politica

“MPLA e João Lourenço devem assumir responsabilidade pelo massacre em Cafunfo”, diz político do PRS

Published

on

Depois de quase duas semanas do “massacre em Cafunfo”, decorrido no passado dia 30 de Janeiro, parece que os ânimos na zona diamantífera do Cuango voltaram a aquecer, nesta terça-feira, 09, com a denúncia da morte de três cidadãos daquela localidade, conforme noticiam alguns órgãos de comunicação social nacionais e internacionais e a detenção em Luanda do líder do Movimento do Protectorado da Lunda Tchowe, Zecamutchima.

O político, economista e membro do conselho político do PRS, Sapalo António, instou, em declarações ao Correio da Kianda, o partido no poder em Angola, MPLA, e o seu líder, João Lourenço, a assumirem a responsabilidade pela morte de 23 cidadãos, vários feridos  e algumas detenções, segundo dados avançados por activistas, porém, até o momento, o Ministério do Interior confirma a ocorrência de seis mortes durante a tentativa de manifestação.

“O massacre em Cafunfo é uma grande irresponsabilidade do MPLA e fundamentalmente do seu presidente João Lourenço. O que aconteceu naquela localidade é inadmissível”, disse e acrescenta, que as autoridades devem reconhecer que houve atrocidade e a justiça deve ser feita para as vítimas e as suas famílias”, alertou o político

Sapalo António considerou que “as autoridades angolanas devem respeitar a autonomia da Lunda Tchokwe, para que se evite situação do género, por que, segundo o académico, à semelhança de Cabinda, as Lundas, desde a época colonial, sempre tiveram um tratamento diferenciado com as demais regiões do país.

“O Protectorado Lunda Tchokwe não é qualquer organização, e se buscam pela autonomia da região, o governo deve respeitar”, avançou

O antigo presidente da bancada parlamentar do PRS disse ainda que no massacre ocorrido em Cafunfo não devem ser responsabilizados os agentes da segurança do Estado, mas sim,  a responsabilidade deve ser atribuída aos dirigentes do MPLA. De acordo com o economista, os agentes da ordem “só estavam a cumprir orientações dos seus superiores”, disse, apelando ao diálogo entre as partes interessada da região Leste.

Continue Reading
2 Comments

2 Comments

  1. Paulo de Carvalho

    11/02/2021 at 9:35 am

    *OS MORTOS VIVOS DA UNITA EM CAFUNFO VS APROVEITAMENTO POLÍTICO*

    Nós já não mudamos.É assim desde a Jamba.Sempre a mentir e a aumentar números .Na altura eram falsos números de gloriosos FAPLA mortos.Eram aos montantes. Agora em plena era digital, um partido que quer ser governo, faz deslocar precipitadamente (5) cinco *Deputados Alberto Ngalanela, Joaquim Nafoia, Sediangani Mbimbi e Domingos Oliveira, os Activista Laura Macedo e Domingos Cardoso* mais uma vasta equipa de apoio à Cafunfo com a orientação de denegrir o Executivo e conquistar a simpatia da população Lunda que nunca nutriu qualquer simpatia pela Unita. Fez gastos financeiros consideráveis dos poucos que a UNITA ainda tem, produz um Relatório que é uma autêntica vergonha para a UNITA e eivado de mentiras? Como é que a Unita considera mortas pessoas que estão vivas? Como acreditar em uma só linha daquele Relatório? Tenho plena certeza que, o Executivo da Lunda Norte vai produzir um desmentido e a credibilidade da Unita estará outra vez fragilizada, porque na verdade até eu e os próprios Deputados que foram a Cafunfo sabem que:
    *8-André Muene*
    *Kapango* ;
    *10-Castro Cassombo* ; *19-Samuel Swete* ; 20 *-Dinis Silva* ; 21- *Joel Julinho Lázaro* . Referidos como mortos, estão bem vivos da Silva!
    Porquê que o partido se permite a isto?Já não basta termos um Presidente declaramentente mentiroso? Agora são também os Deputados? *Maninho Ngalanela* ? *Maninho Nafoia* ? Quantos mortos vivos ainda teremos na lista apresentada?

    Por: Matondo Fino.

  2. Ivo Verissimo

    11/02/2021 at 9:37 am

    *OS MORTOS VIVOS DA UNITA EM CAFUNFO VS APROVEITAMENTO POLÍTICO*

    Nós já não mudamos.É assim desde a Jamba.Sempre a mentir e a aumentar números .Na altura eram falsos números de gloriosos FAPLA mortos.Eram aos montantes. Agora em plena era digital, um partido que quer ser governo, faz deslocar precipitadamente (5) cinco *Deputados Alberto Ngalanela, Joaquim Nafoia, Sediangani Mbimbi e Domingos Oliveira, os Activista Laura Macedo e Domingos Cardoso* mais uma vasta equipa de apoio à Cafunfo com a orientação de denegrir o Executivo e conquistar a simpatia da população Lunda que nunca nutriu qualquer simpatia pela Unita. Fez gastos financeiros consideráveis dos poucos que a UNITA ainda tem, produz um Relatório que é uma autêntica vergonha para a UNITA e eivado de mentiras? Como é que a Unita considera mortas pessoas que estão vivas? Como acreditar em uma só linha daquele Relatório? Tenho plena certeza que, o Executivo da Lunda Norte vai produzir um desmentido e a credibilidade da Unita estará outra vez fragilizada, porque na verdade até eu e os próprios Deputados que foram a Cafunfo sabem que:
    *8-André Muene*
    *Kapango* ;
    *10-Castro Cassombo* ; *19-Samuel Swete* ; 20 *-Dinis Silva* ; 21- *Joel Julinho Lázaro* . Referidos como mortos, estão bem vivos da Silva!
    Porquê que o partido se permite a isto?Já não basta termos um Presidente declaramentente mentiroso? Agora são também os Deputados? *Maninho Ngalanela* ? *Maninho Nafoia* ? Quantos mortos vivos ainda teremos na lista apresentada?

    Por: Matondo Fino.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *