Connect with us

Sociedade

Mototaxistas reagem a proibição de circulação de motociclos em certos pontos de Luanda

Published

on

Os mototaxistas reagiram a nova medida que proíbe a circulação de veículos ciclomotores, motociclos, triciclos, quadriciclos e camiões em certos pontos da cidade capital, nesta terça feira, 5, pelo Governo Provincial de Luanda.

O presidente da Associação de Mototaxistas e Transportadores de Angola, Bento Rafael, diz que a sua organização não foi levada em conta por altura da elaboração do documento e afirma que vai provocar vários constrangimentos aos associados.

Bento Rafael, diz entender os objectivos da restrição, mas sublinha que a medida vai prejudicar não só os associados, mas também os cidadãos que dependem desses serviços.

O responsável garante que vai dialogar com os mototaxistas, no sentido de não optarem por condutas indecorosas.

Para os mototaxistas, esta medida vai criar muitos constrangimentos, “nas actividades diárias de táxi”.

“Sem este trabalho, nós não sobrevivemos”, argumentam e completam: “não temos emprego, é com este tipo de meio de transporte que conseguimos sustentar as nossas famílias”, lamentam.

Por outro lado, o mototaxista Giovani André, afirma que o Governo “não deve proibir a nossa circulação, se assim for, tem de parar de exportar motas no país, para que, se evite muita sinistralidade em Angola”.

Lembrar que o Governo Provincial de Luanda anunciou ontem que vai restringir a circulação de mototáxis, em algumas vias de Luanda, medida anunciada pelo Director Provincial dos Transportes, Tráfego e Mobilidade Urbana de Luanda, Filipe Kumandala.

A medida segundo a Polícia Nacional, vai reduzir os números dos acidentes registados em Luanda provocados maioritariamente por mototaxistas.

Dados estatísticos, apontam que a Polícia Nacional registou no primeiro semestre deste ano, 778 acidentes de viação envolvendo motociclos e ciclomotores, 134 mortos e 725 feridos, destes 368 com gravidade.