Connect with us

Luto

Morreu primeiro Director Geral da Sonangol Vítima de doença

Published

on

O engenheiro Percy Carlos Freudenthal morreu aos 84 anos de idade, no passado dia 1 de Abril, em Portugal, onde se encontrava a residir desde 1979, depois de ter participado e sido o primeiro gestor da Sociedade Nacional dos Combustiveis de Angola (Sonangol). Em comunicado distribuído à imprensa, a petrolífera estatal descreve Percy Freudenthal como um homem dedicado.

Antes conduziu a Comissão de Reestruturação da Indústria Petrolífera (CRIP), que resultou na criação da Sonangol, tendo sido nomeado o primeiro Director Geral da petrolífera nacional, cargo que exerceu de 1976 a 1979 “com brio e dedicação, enfrentando os enormes desafios que se apresentavam para o estabelecimento e afirmação da nova petrolífera estatal no contexto internacional e, igualmente, a grande responsabilidade para levar a cabo a cobertura do abastecimento de combustíveis a nível de todo o território nacional, no conturbado período pós-independência”, lê-se.

Além da licenciatura em eletrónica, obtida em Portugal, Percy Freudenthal licenciou-se ainda em economia em Angola, e rumou para Portugal em 1979, onde anos depois concluiu um MBA.

Nascido em Angola em 1938, participou, de acordo com o comunicado da Sonangol, da luta de libertação nacional, envolvendo-se no movimento nacionalista angolano, a partir da Casa dos Estudantes do Império em Portugal, o que lhe valeu uma detenção pela PIDE.

A convite do Presidente Agostinho Neto, de quem viria a tornar-se próximo, fez parte do grupo que, em 1974, participou no primeiro congresso do MPLA em Lusaka, Zâmbia.
Nas décadas de 80 e 90, já em Portugal, para além trabalhar como Consultor, dedicou-se a empreender novos negócios, destacando-se a fundação do Centro Comercial Roma e a cadeia de restaurantes Pateo, entre outros.