Connect with us

Sociedade

Morosidade na emissão de passaporte “deita em terra” sonho de quem pretende viajar

Published

on

A morosidade na emissão de passaportes em Luanda, “deita em terra” o sonho de quem pretende viajar para o exterior, a fim de estudar ou tratar da saúde.

Vários cidadãos que tencionam se deslocar para fora de Angola, estão há um ano à espera para receber um passaporte junto do Serviço de Migração e Estrangeiro (SME), contaram, nesta semana, os utentes entrevistados pelo nosso jornal.

Marcelina António revelou que desde que deu entrada da sua documentação para emissão de passaporte já completou um ano e um mês que não tem em posse o seu documento.

O professor do ensino secundário, Pedro Kiala, disse ao nosso jornal, que remeteu o processo ao SME, no mês de Março do ano pretérito. Já passou onze meses e ainda não recebeu o passaporte. Por causa disso foi forçado a adiar a sua deslocação ao exterior do país.

“Eu dei entrada no meu processo ao Serviço de Migração e Estrangeiro, no dia 2 de Janeiro de 2020, e até agora não saiu, depois atendem muito mal as pessoas “, lamentou, a utente Estefânia Alexandre.

“Sinceramente, não sei o que se passa com esta instituição. Já perdi a conta das minhas reclamações. Parece que o Serviço de Migração e Estrangeiro não tem vontade de resolver o problema“, desabafou a funcionária pública, que atende pelo nome de Rosa Valente.

Dona Esperança Alberto alega que está a esperar receber o passaporte da sua filha desde 2019, e até ao momento ainda não saiu, já reclamou mas não está a encontrar resolução deste caso.

Viagens impedidas

Luís Geraldo, jovem de 21 anos, conta o drama que está a passar. Alega que ganhou uma bolsa de Estudo no exterior, mas não consegue realizar a viagem pela demora do passaporte. O mesmo diz que não sabe o que fazer, já reclamou várias vezes e nunca obteve resultado satisfatório, só lhe dizem para aguardar.

Luís deu entrada do seu processo no SME, no mês de Janeiro do ano passado para obter o passaporte, mas até ao momento ainda não recebeu.

Outro jovem que responde pelo nome de Paulo Jorge, está indignado pelo demora na emissão de passaporte, corre risco de perder a viagem e, consequentemente, a bolsa de estudo para fora de Angola.

“Estou a aguardar o meu passaporte há mais de dez meses. Pretendo viajar para efectuar consulta médica“, contou a dona Constância Neves.

Para Sebastião da Silva, quando os funcionários do SME dizem que dão prioridade a passaporte das pessoas que irão fazer consultas no exterior ou mesmo para quem vai estudar, “não é o que está acontecer na prática”.

“Sem sombra de dúvida, isso é bloqueio para os jovens não viajarem, no exterior do país em busca de melhores condições de vida “, justificou, o utente Raimundo Francisco.

Segundo um dos funcionários do Serviço de Migração e Estrangeiro de Luanda, que aceitou falar ao Correio da Kianda, em anonimato, justificou a morosidade na emissão de passaporte por insuficiência de cédulas. O mesmo disse ainda que o material para emissão de passaporte é importado.

Por Nzinga Manuel