Connect with us

Sociedade

Moradores perspectivam vida nada pacífica no Zango 0

Published

on

Os moradores da centralidade Vida Pacífica, no Zango 0, preparam-se para receber novos vizinhos, nos próximos tempos. São cidadãos contemplados no processo dos 1.020 apartamentos disponibilizados pelo presidente João Lourenço aos jovens. Contudo, uma lista posta a circular nas redes sociais, tem tirado o sono dos actuais e futuros habitantes. Mais de cem activistas, alguns deles ligados ao Movimento Revolucionário, irão beneficiar-se de residências no local. Não são poucos os que estão a se esquivar de ser vizinho dos também conhecidos como “revús”.

Em vésperas de receberem novos vizinhos, os actuais moradores da centralidade Vida Pacífica, ouvidos nesta quarta-feira, 19, pelo Correio da Kianda, falam em dias que se aproximam, como os que poderão tornar-se turbulentos, tendo em conta a convivência com os novos inquilinos, com destaque para os pertencentes ao Movimento Revolucionário.

“Viver com revús, como Nito Alves e tantos outros, aqui na Vida Pacífica, não será nada fácil. Porque sabemos que os manifestantes gostam muito de fazer confusão. Espero que não venham ser meu vizinho de bloco”, disse esperançoso, ao Correio da Kianda, uma das moradoras.

“Desde que tomamos conhecimento que um dos próximos vizinhos nossos serão os jovens que têm feito manifestações, que estamos a nos preparar psicologicamente para os receber, mas temos vizinhos que estão apreensivos quanto ao comportamento deles, quando virem para aqui”, fez saber uma outra moradora ouvida pelo Correio da Kianda, que preferiu falar sob-anonimato.

Em círculos restritos, assim como os antigos moradores que já lá vivem, jovens estudantes universitários e jornalistas, contemplados no mesmo processo, são os que também têm estado pedir distanciamento com os “revús”, augurando que a convivência com estes, não será nada pacífica.

“Quanto mais distante estiver do bloco dos “revús”, melhor será para mim. Porque muito deles são confusionistas e podem pertubar o silêncio, num projecto habitacional onde o nome, é Vida Pacífica”, disse um dos estudantes universitários, ao Correio da Kianda, também contemplado no processo de aquisição de casas naquela centralidade.

Visão diferente tem um outro morador ouvido pela nossa redacção que espera que com a chegada dos novos vizinhos, sejam resolvidos muitos problemas que assolam a centralidade, como os constantes alagamentos em dias de chuva.