Connect with us

Sociedade

Luanda: moradores do Lote 1 do Prenda aguardam por alojamento

Published

on

As 41 famílias que residem no Lote 1 do bairro Prenda, Distrito Urbano da Maianga, em Luanda, estão, desde sábado, a aguardar por informações oficiais do Governo da província sobre o local onde serão alojados, depois de evacuados no edifício em que residiam, depois deste apresentar risco de desabamento.

A Agência Angola Press refere que o imóvel continua evacuado, sem acesso dos moradores, e que até ao princípio da tarde deste domingo, não havia registado nenhuma outra vibração que levasse ao desabamento devido às situações apresentadas pelos quatro pilares em falência.

O imóvel de cinco andares, existente há mais de 50 anos, foi evacuado no final da tarde de sábado, pelas autoridades depois de se terem registado vibrações na sua estrutura.

De acordo com o vice-governador provincial de Luanda para o sector Técnico e Infra-estrutura, Cristino Ndeitunga, estudos preliminares do Laboratório de Engenharia de Angola (LEA) indicam a existência de quatro pilares tecnicamente “falidos” que carecem de uma intervenção urgente, pelo que continuará interditado o acesso, por enquanto.

Neste momento, duas empresas de construção encontram-se no edifício a colocarem prumos e suportes para garantir o bom trabalho dos técnicos a fim de se determinar, se o edifício volta a ser habitado ou demolido, informação a ser revelada nas próximas horas.

As equipas técnicas foram orientadas a fazer, rapidamente, o reforço dos pilares, passo fundamental para se determinar a volta ou não dos moradores.

Neste momento, os moradores contam com a solidariedade de familiares e amigos para se abrigarem, até a situação ficar resolvida, continuando a lamentar o facto de não terem tido tempo para retirar os seus pertences, que continuam assegurados por efectivos da Polícia Nacional que no local.

Segundo o porta-voz do Serviço de Protecção Civil e Bombeiro, Félix Domingos, em média, mais de 200 pessoas foram desalojadas do prédio e só poderão retirar os pertences logo que estiver garantida a locomoção no interior do edifício.

Além dos moradores do prédio, algumas casas no raio próximo ao Lote 1, foram igualmente informadas para abandonar o local neste momento, enquanto a situação se mantém.

Esta é a segunda situação de desalojamento de famílias em edifícios da era colonial em Luanda, só este ano.

A primeira ocorreu num prédio de seis andares na Avenida Comandante Valódia, que desabou, sem causar vítimas.

Colunistas