Connect with us

Sociedade

Moradores da lagoa da Catombela no Município do Cazenga dizem-se abandonados pela Administração

Published

on

Moradores do bairro da Mabor, no distrito do 11 de Novembro, município do Cazenga, reclamam das autoridades locais, de nada fazer para ajudar a população desta localidade que atravessam situações difíceis em épocas chuvosas através da “Cacimba Catombela” que quando enche inunda as residências e os moradores são obrigados abandonar as casas.

Informações colhida pelo Correio da Kianda, no local, nos últimos anos, na lagoa já morreram mais de 10 crianças, entre as quais duas faleceram só nesta época chuvosa. Os moradores falando ao nosso jornal responsabilizam administração do Cazenga, com realce ao actual administrador Tomás Bica, que no entender dos mesmos, nunca teve iniciativa de os visitar e saber da realidade destes moradores, comparando com anterior administrador Albino da Conceição, que de acordo com os habitantes prestava maior atenção, sobretudo quando a cachimba inundava as residências.

Moradores revelam e acusam responsáveis da administração do Cazenga de terem desviado uma moto-bomba adquirida na época do ex-administrador, que facilitava no esvaziamento da lagoa quando enchia.

Uma moradora que reside há mais de vinte anos, nos a redores da cacimba da Catombela, disse estarem agastados com tal situação, que em época chuvosa tem abandonado as suas casas e socorrem-se dos familiares mais próximos e em casos mais extremos ficam mesmo ao relento.

“Tani Narciso e nem esse o novo Bica, não se preocupam com as condições da população aqui, segundo ele, o único administrador que tinha na agenda a situação desses moradores era Albino da Conceição, que trouxe a única moto-bomba e sempre trazia combustível ”, diz a senhora.

Já outra moradora revelou que quando chove em demasia a circulação fica totalmente cortada, criando vários prejuízos e até perda de vidas humanas. Também fez saber, que o único moto-bomba existente encontra-se avariado faz tempo e que sentem-se abandonados pela administração.

Até o desfecho desta matéria o Correio da Kiada, tentou por telefone ouvir um dos responsáveis da Administração do Cazenga para o devido esclarecimento, mas não tivemos sucesso.

Colunistas