Connect with us

Especial RDC

Moise Katumbi denuncia “actos de fraude para favorecer Tshisekedi”

Published

on

“A condução das eleições de quarta-feira, 20 de Dezembro, deu origem a disfunções e irregularidades, cuja dimensão confirma o planeamento de fraudes organizadas pelo poder cessante e pela CENI, em violação da Constituição e das leis da República”, afirmou o candidato a Presidente da República Moïse Katumbi, numa declaração assinada nesta quinta-feira, 21 de Dezembro, com os apoiantes Matata Ponyo, Delly Sesanga, Franck Diongo e Seth Kikuni.

Na declaração, os políticos apelaram à mobilização geral da população em todo o país para “garantir a defesa da liberdade de voto expressa em 20 de Dezembro a favor do candidato Moïse Katumbi”, apesar das múltiplas irregularidades registadas durante a preparação e votação.

Na sua declaração, estes cinco opositores afirmam que muitos eleitores não puderam votar devido a falta de implantação de máquinas nos centros, máquinas defeituosas e listas eleitorais exibidas incompletas.

A isto, “juntam-se os supostos actos de violência contra eleitores e apoiantes que votaram em Moïse Katumbi nas eleições presidenciais, orquestrando a cessação das operações de votação”, disse Katumbi.

“A fraude generalizada foi organizada com a multiplicação de cargos fictícios, a detenção de materiais eleitorais sensíveis por membros da União Sagrada no poder, a expulsão sistemática das nossas testemunhas e observadores durante as tão esperadas operações de contagem”, afirma o documento.

O documento que tem, atesta o candidato Moise Katumbi, refere que a fraude orquestrada pelo poder em exercício, e pela CENI, em violação do artigo 52 da lei eleitoral, por ter estendido as operações eleitorais a mais de um dia de votação, contrariando a lei.

Entretanto, a Comissão Eleitoral Nacional Independente disse na quarta-feira última, 20, que a votação estender-se-ia até quinta-feira, dia 21, uma prerrogativa legal.

E, a Rádio Correio da Kianda sabe, junto das assembleias de voto já escrutinadas, que os resultados não são favoráveis a Moise Katumbi.

A lei estabelece que a CENI deverá anunciar os resultados nacionais no dia 31 de Dezembro, numa altura em que, o Presidente Federal do Cassai Central do partido político DYREC, Kabatushimi Tshimanga Timothee, que sustenta a candidatura de FATCHI BETON, disse em exclusivo À Rádio Correio da Kianda que já se sabe, através dos resultados das assembleias de votos que “Tshisekedi é o vencedor, cujo resultado é irreversível, mas, vamos aguardar pelo anúncio das instituições competentes (CENI e Tribunal Constitucional)” disse, o político e candidato à deputado no círculo de Cassai Central e Nacional.

Acompanhe a cobertura completa das eleições na RDC, na Rádio Correio da Kianda, em 103.7 FM para Luanda, e no portal www.correiokianda.info.

Por Queirós Chilúvia, directo da República Democrática do Congo 

Jornalista multimédia com quase 15 anos de carreira, como repórter, locutor e editor, tratando matérias de índole socioeconómico, cultural e político é o único jornalista angolano eleito entre os 100 “Heróis da Informação” do mundo, pela organização Repórteres Sem Fronteira. Licenciado em Direito, na especialidade Jurídico-Forense, foi ainda editor-chefe e Director Geral da Rádio Despertar.

Colunistas